Rede aleluia
Entrelinhas: a liberdade de crença tem sofrido com casos de intolerância e perseguição
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de Maio de 2021 - 15:27


Entrelinhas: a liberdade de crença tem sofrido com casos de intolerância e perseguição

Programa exibido no domingo último (2), falou sobre o assunto e exemplificou com fatos recentes que ocorreram contra cristãos 

Entrelinhas: a liberdade de crença tem sofrido com casos de intolerância e perseguição

A liberdade de expressão e a liberdade de crença têm sofrido com casos de perseguição. A exemplo do que aconteceu recentemente ao Pastor John Sherwood, de 71 anos, que foi detido enquanto ministrava a Palavra de Deus em público, em frente a uma estação de metrô em Londres, na Inglaterra. De acordo com a polícia, ele foi denunciado por homofobia. Na ocasião, o pastor lia a passagem da Bíblia em Gênesis 1: 27,28, que se refere à criação de Deus do ser humano, homem e mulher.

O programa Entrelinhas, deste domingo último (2), inicialmente abordou este fato e debateu sobre o assunto. Além desse exemplo, também mostrou o caso da youtuber Kika Nieto que recebeu uma ordem judicial para excluir de sua conta na plataforma um vídeo sobre casamento hétero. O conteúdo foi publicado há cerca de 3 anos, enquanto Kika respondia perguntas de seguidores. A ação judicial foi mobilizada por militantes LGBTIQ+, que chegaram a pedir a prisão da influenciadora digital.

O Bispo Renato Cardoso e o Bispo Adilson Silva falaram sobre o assunto.

“As pessoas são livres, desde que possam responder por si mesmas (…)  mas, não deve se impor a sua crença sobre outras pessoas. A liberdade de expressão, a liberdade de crença é um direito protegido pela Constituição, na grande maioria dos países. Entretanto, o que nós estamos vendo não é uma liberdade de expressão, mas uma opressão, para que as pessoas passem a ficar caladas com medo de falar aquilo que creem. É realmente lamentável”, disse o Bispo Renato.

Clique e leia mais: “Perseguição aos cristãos aumenta mais de 30% em um ano”

Em seguida, o programa exibiu matéria sobre proposta de Lei no estado de São Paulo que proibiria que propagandas relacionadas às ideologia de gênero fossem desenvolvidas para o público infantil. Na última semana, ela foi retirada de pauta por ter sido considerada ilegal por interferir na regulamentação da propaganda e supostamente violar os direitos humanos.

Ação social

O programa destacou ação social realizada pelos voluntários da Universal do Rio de Janeiro que doou 40 cestas básicas em centro espírita localizado na zona oeste da capital fluminense.

O Bispo Renato pontuou como a verdadeira fé cristã deve tratar as pessoas independentemente de raça, religião, orientação sexual, com respeito e dignidade, mesmo que não haja concordância.

“Se o ser humano tão somente entendesse que as religiões, as ideologias, tudo o que separa o ser humano é o que realmente causa problemas — e entendesse que não importa de onde vem, onde nasceu, a cor, a classe social — , então, a gente viveria em uma sociedade em que não haveria essas paredes divisórias entre grupos e classes”, apontou.

Quanto tempo você precisa para mudar?

Ainda durante o programa, o casal Leandro e Sabrina conversaram com o Bispo Adilson. Eles, que estão casados há 9 anos, se reencontraram após Leandro ter vivido por anos em outro país, afastado da fé e envolvido com o crime e vícios.

Leandro viveu uma infância difícil em um lar conturbado. Com 12 anos, já sofria com insônia e depressão, ouvia vozes, via vultos e se refugiava em cemitérios em busca de uma falsa paz. Aos 14, começou a frequentar a Igreja. Tornou-se obreiro. Então, por volta dos 17, recebeu uma oportunidade de emprego no exterior. Nesse ínterim, relaxou na fé. Começou a fumar, beber, usou outros tipos de drogas e até mesmo se prostituiu e traficou. No fundo do poço, depois de anos afastado, ele assistiu a uma mensagem do Bispo Edir Macedo que o despertou.

Assista ao programa na íntegra e confira essa história:

Ao final, o Bispo Adilson convidou os telespectadores a participarem, no próximo domingo, 9 de maio (Dia das Mães), do Dia do clamor pelos que choram, em toda a Universal.


Entrelinhas: a liberdade de crença tem sofrido com casos de intolerância e perseguição
  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro