Rede aleluia
Pesquisas apontam um aumento de depressão e ansiedade nos profissionais da saúde
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de maio de 2020 - 23:16


Pesquisas apontam um aumento de depressão e ansiedade nos profissionais da saúde

No Brasil, um estudo da Faculdade Medicina da USP analisa as consequências psicológicas da pandemia na população

Pesquisas apontam um aumento de depressão e ansiedade nos profissionais da saúde

Em entrevista ao jornalista Adriano Faria, da Rádio Senado, o pesquisador do departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP), Rafael Guimarães, destaca que estudos realizados em outros países apontam um aumento na depressão e ansiedade na população, especialmente, nos profissionais da área da saúde.

No Brasil, está em andamento um estudo para analisar as consequências psicológicas da COVID-19 na população. Trata-se de uma pesquisa internacional da qual o programa de pós-graduação em saúde mental da FMRP faz parte, cujos resultados devem ser divulgados em dois meses.

Objetivo da pesquisa

Segundo o pesquisador, o objetivo da pesquisa, que em sua primeira etapa foi realizada com mais de 3 mil pessoas,  é compreender o impacto desse momento difícil da sociedade. “A partir do momento que a gente compreender o que está acontecendo, nós conseguiremos pensar em estratégias de tratamento e ferramentas para auxiliar essas pessoas”, destaca.

Leia também:

A luta contra a depressão durante a pandemia da COVID-19

Ele destaca ainda que essa é a primeira pesquisa que será feita na América Latina, embora já existam por volta de dez ou mais que foram realizadas na população chinesa.  “Eles já observaram que tanto nos profissionais da saúde, que são a linha de frente e lidam, diretamente, com os pacientes, quanto a população em geral apresentam maiores índices de depressão e ansiedade, além de insônia e estresse de maneira geral”.

Profissionais da saúde são os mais impactados

 De acordo com Guimarães, no Brasil, alguns dados já indicam o aumento do sofrimento mental, inclusive, houve um aumento das solicitações de serviços de saúde mental. Tanto, que alguns profissionais – psicólogos, terapeutas e psiquiatras – já foram escalados para ajudar de forma gratuita, especialmente,  médicos e enfermeiros,  que são aqueles que mais sofrem esse impacto, por estarem na linha de frente, lidando com os pacientes. E muitas vezes precisam se manter afastados da família para evitar o contágio. Portanto, todo esse estresse  a que são submetidos devido à pandemia, acaba por desencadear quadros de depressão, ansiedade e outros distúrbios mentais.

Grupo da Saúde

Diante dessa triste realidade, com o intuito de zelar pelo bem-estar físico e mental daqueles que dedicam a vida para cuidar da saúde de outras pessoas, o Grupo da Saúde, formado por voluntários da Universal, desde o início de 2018 tem realizado, mensalmente e gratuitamente, palestras direcionadas para os profissionais da área da saúde.

No entanto, devido à quarentena essas palestras estão sendo online e com maior frequência, duas vezes ao mês. Além disso, semanalmente são feitas lives com algum especialista para tratar de temas relacionados à pandemia.

Encontros online

“Desde o início da pandemia, também, o Grupo tem transmitido esses encontros nas redes sociais, além de proporcionar lives semanais nos perfis oficiais trazendo um assunto relevante ao período e ao público. No entanto, em vez de apenas debater sobre a situação atual sob o olhar do especialista, tratamos o especialista, expondo seus medos, receios e conflitos”,  destaca o  Bispo Eduardo Ribeiro, responsável pelo Grupo da Saúde em todo Brasil.

Ele destaca ainda  que  durante a quarentena o grupo permanece ao lado de todos os que compõem a equipe de saúde – médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares.

Homenagem

“Os agentes do bem-estar têm se colocado à disposição, indo aos hospitais deixar uma mensagem de fé e orar tanto pela equipe, como pelos familiares e pacientes. Durante todo mês de maio, em todo o Brasil, os voluntários aproveitaram o Dia Mundial da Enfermagem, que foi no dia 12, para dar início a uma série de homenagens e prestar reconhecimento não só a estes, mas a todos os profissionais de saúde, que se sentiram valorizados. Pois, muitos se encontram sem saber o que fazer. Por isso, queremos mostrar que estamos ao lado deles”, ressalta.

Para saber mais sobre o trabalho desenvolvido por esses voluntários, acesse aqui.


Pesquisas apontam um aumento de depressão e ansiedade nos profissionais da saúde
  • Jeane Vidal / Foto: Cedidas 


reportar erro