Rede aleluia
Perseguição no Afeganistão: Eles escolheram ficar para trás
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 31 de Agosto de 2022 - 21:16


Perseguição no Afeganistão: Eles escolheram ficar para trás

Entenda a coragem e ousadia de cristãos afegãos que escolheram ficar para propagar o Evangelho

Perseguição no Afeganistão: Eles escolheram ficar para trás

Um ano depois da retomada do Afeganistão pelo Talibã, devido à retirada das tropas dos Estados Unidos do país, horrores e perseguições a cristãos só aumentam. Contudo, alguns cristãos afegãos corajosos ficaram para trás para continuar propagando o Evangelho.

Quadro geral:

Em 2021, o grupo radical Talibã retomou o poder após 20 anos e, com isso, trouxe uma série de medidas extremistas que incluem o aumento da perseguição aos cristãos e a insegurança para as mulheres.

Desta forma, para entender o cenário trágico no país, o porta-voz do The Voice of the Martyrs (VOM), Todd Nettleton, contou detalhes ao Faithwire da CBN. 

O que está acontecendo:

Em entrevista, ele explicou que a economia está destruída e que os combatentes do Talibã não têm aptidão para governar. Diante disso, o país sofre com a fome, falta de moradia e combustível. Além disso, os cristãos enfrentam grande perseguição.

Entretanto, Nettleton contou que alguns cristãos permanecem no país por vontade própria, mesmo sendo alvos do ódio dos talibãs. Ele esclareceu que cristãos mais conhecidos publicamente fugiram do país, porém, outros menos conhecidos tomaram a surpreendente decisão de ficar para trás e continuar a propagação do Evangelho.

“Cristãos afegãos que eram menos conhecidos, muitos deles tomaram a decisão incrivelmente ousada de permanecer no Afeganistão. Eles também sabiam qual era a teologia do Talibã, eles sabiam o que aconteceria se fossem declarados cristãos, mas sua atitude era: ‘Ouça, se todos os cristãos deixarem o país, quem ainda estará aqui para compartilhar o Evangelho? ‘”, disse, acrescentando ainda estar inspirado pela coragem e ousadia desses homens.

O que analisar:

Em muitos países ao redor do mundo, ser um seguidor do Senhor Jesus é um ato diário de coragem, por conta do preconceito da sociedade, desprezo da família, opressão religiosa e leis autoritárias. 

Porém, assim como esses cristãos afegãos, os cristãos brasileiros devem assumir a sua fé e seguir a missão dada por Deus de levar a Sua Palavra e permanecer firmes até o fim.

O que fazer:

Aproveite o “Jejum de Daniel: o jejum determinado por Deus”, que vai até o dia 18 de setembro, para se aproximar mais de Deus, se desconectar desse mundo, estreitando o seu relacionamento com Ele. Saiba como participar, clicando aqui.

Neste período, inclusive, uma boa dica na plataforma Univer Vídeo é assistir ao filme “Torturado por Cristo”. Baseado em fatos reais, o longa metragem revela como o comunismo da Romênia, na Europa, tratava os cristãos. 

Veja também:

Organização afirma que o Talibã, de fato, está perseguindo os cristãos no Afeganistão

Cristãos afegãos pedem socorro


Perseguição no Afeganistão: Eles escolheram ficar para trás
  • Redação / Foto: iStock 


reportar erro