Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 21 de agosto de 2018 - 20:00


Você só procura Deus na hora do aperto?

Saiba por que essa atitude não é justa

Por séculos, a Arca da Aliança – que era um símbolo físico da presença de Deus com o povo de Israel – habitou no tabernáculo erguido por Moisés. Era uma estrutura temporária, já que Israel viajava pelo deserto, rumo à Terra Prometida. Durante as guerras, a Arca sempre ia à frente do exército e até os inimigos temiam, pois já sabiam que Deus estava com eles na batalha.
Mas, durante o reinado de Davi, o Senhor já havia dado inúmeras vitórias e conquistas a Israel, porém, enquanto o rei vivia em um palácio, a Arca continuava no tabernáculo.
Recentemente, durante o programa “Fala que eu te Escuto”, o Bispo Renato Cardoso refletiu sobre o assunto, trazendo um importante ensinamento.
“Em outras palavras: na hora da guerra, todos se lembravam de colocar Deus à frente. Depois da vitória, a Arca voltava para tenda de cortinas e o Senhor era deixado de lado. Muitas pessoas fazem o mesmo: na hora do apuro, correm para Ele, arrumam tempo para ir à igreja, orar, jejuar, ler a Bíblia, mas só na hora do apuro”, disse.
É justo?
No seu dia a dia você procura manter a comunhão com Deus ou só O procura quando precisa resolver um problema? A maioria das pessoas é adepta da segunda opção, inclusive foi o que aconteceu com o povo de Israel, durante muitos anos. O primeiro a perceber isso foi o rei Davi:
E sucedeu que, estando o rei Davi em sua casa, e tendo o SENHOR lhe dado descanso de todos os seus inimigos em redor, disse o rei ao profeta Natã: Eis que eu moro em casa de cedro, e a arca de Deus mora dentro de cortinas.
2 Samuel 7:1,2
“Depois de séculos da existência da Arca, Davi se deu conta de que ele e todo o povo colocavam Deus em segundo plano em suas vidas, mas quando decidiu construir um templo digno de abrigar a Arca, Deus fez com Davi uma aliança”, afirmou o Bispo.
Procurar a ajuda do Altíssimo e depois seguir a vida à própria maneira, além de não ser justo, impede que Deus conclua o plano que começou em sua vida. Dessa forma, a pessoa sai com uma benção na mão, enquanto Ele quer torná-la a própria benção.
Nesta última semana do Jejum de Daniel (que teve início no dia 6 de agosto e vai até o próximo dia 26), aproveite para refletir se você tem dado o lugar de honra e atenção que Deus realmente merece. Para refletir melhor sobre o assunto e buscar mais intimidade com Deus, compareça nesta quarta-feira à reunião “Escola da Fé”, no Templo de Salomão, na avenida Celso Garcia, 605, bairro do Brás, zona leste de São Paulo, ou em uma Universal perto de você. Procure o endereço, clicando aqui.


  • Por Rafaella Rizzo / Foto: iStock 


reportar erro