Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de março de 2018 - 03:05


Universal Socioeducativo quer mudar estatísticas

O grupo, que atua em todo o Brasil, não mede esforços para afastar os jovens da criminalidade

Não é de hoje que boa parcela da juventude brasileira se encontra em dificuldades sociais e acaba sucumbindo à criminalidade. De acordo com o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência, publicado pela Unesco no final de 2017, jovens de 15 a 29 anos representam um quarto da população brasileira e estão entre as maiores vítimas de homicídios. Muitos dos que não morrem precocemente vão parar nas instituições de atendimento socioeducativo.

Luiz Eduardo da Silva, de 18 anos, morador de Goiânia, poderia ser mais um número nas estatísticas, caso não tivesse conhecido o trabalho do grupo Universal Socieducativo (USE). Aos 14 anos, ele começou a fumar maconha, influenciado por um familiar, e se envolveu rapidamente com o tráfico de drogas. “Minha mãe só descobriu que eu estava no crime quando encontrou a minha carteira cheia de dinheiro. Com 17 anos, fui acusado de tentativa de homicídio quando cobrava uma dívida. Tinha usado LSD e nem lembrava do que havia feito. Fui parar em uma unidade de internação. Fiquei mais de um ano lá. Só comecei a mudar minha cabeça depois de conhecer o trabalho da Universal dentro da instituição. Eu ouvia os pastores evangelizando e isso foi mudando aos poucos a minha visão e conduta. Hoje, aqui fora, todos falam como estou diferente até na maneira de falar”, conta.

Luiz foi batizado nas águas, participa das ações do USE e visita instituições públicas destinadas a jovens que cometeram atos infracionais, para auxiliar na evangelização.

De acordo com o pastor Ulisses Gomes, responsável pelo projeto no Brasil e em outros países, o objetivo do USE é afastar adolescentes do crime, oferecendo a eles o mínimo de perspectiva para suas vidas. “Queremos mudar as estatísticas da criminalidade juvenil. Nós trabalhamos muito para conscientizar esses jovens de como o crime faz mal a eles. O nosso trabalho não se encerra dentro das instituições. Aqui fora temos uma parceria com a Força Jovem Universal (FJU) para que esses jovens façam cursos técnicos, de inglês e pratiquem atividades esportivas, como futebol e caratê, e ocupem sua cabeça com algo bom. Também encaminhamos esses jovens ao mercado de trabalho, quando possível. Em um ano, já atendemos mais de 700 deles”, finaliza.

Ação social

A Universal mantém diversos projetos sociais e, por meio de seus voluntários, atua em vários setores da sociedade, com o objetivo de levar auxílio emocional, psicológico, material e, sobretudo, espiritual aos que necessitam, em asilos, orfanatos, hospitais, presídios, comunidades, entre outros locais.

Clique nos links abaixo e conheça alguns desses projetos:

Projeto Raabe (Auxílio a mulheres vítimas de violência doméstica)

Projeto T-Amar (Apoio a adolescentes grávidas e mães solteiras)

Projeto Ler e escrever (Alfabetização de jovens e adultos)

Anjos da madrugada (Ajuda a moradores de rua)

A Gente da comunidade (Ações sociais em comunidades)

Grupo Calebe (Incentivo e auxílio a idosos)

Força Jovem (Ações com os jovens)

Identificou-se com algum desses projetos? Então não perca mais tempo, procure uma Universal mais próxima e obtenha informações de como se tornar um voluntário. Não esqueça: “… Mais bem-aventurado é dar que receber.” Atos 20.35


  • Por Eduardo Prestes/ Fotos: Cedidas  


reportar erro