Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de setembro de 2019 - 12:41


Novo golpe online induz crianças a passar dados bancários

Imagem espalhada nas redes sociais faz filhos e pais vítimas

Um novo golpe financeiro está sendo aplicado por meio das redes sociais. E dessa vez os alvos são as crianças. Trata-se da imagem abaixo:

turma da mônica

Como pode ser visto, o objetivo é fazer com as crianças forneçam os dados do cartão de crédito dos pais. Para que isso ocorra, os bandidos recorrem aos personagens infantis brasileiros mais conhecidos.

Em nota, a Mauricio de Sousa Produções (MSP) – empresa responsável pelos personagens da Turma da Mônica – informa que nunca solicitou nem solicitará dados bancários ou números de documentos às crianças.

Você pode evitar

Para impedir que seus filhos se tornem vítimas de golpes online como esse, algumas atitudes podem ser tomadas.

A primeira delas é impedir que as crianças tenham acesso aos seus documentos e cartões bancários. Também é possível solicitar ao banco uma notificação cada vez que houver movimentação na conta bancária.

Todavia, o mais importante é conversar com seus filhos e estar ciente de tudo o que eles fazem na internet. Sim, é preciso supervisionar cada ação deles, especialmente nas redes sociais.

A psicóloga clínica, especialista em Desenvolvimento de Pessoas e Grupos Terapêuticos Verônica Kehdi, explica que essa é uma maneira não apenas de se proteger financeiramente, mas especialmente proteger as crianças de muitas coisas ruins que existem na internet.

“A criança pequena não tem nem discernimento daquilo”, explica Kehdi. “Muitas vezes ela não tem o real conhecimento da consequência daquilo que ela está fazendo. Ela é uma criança. E é para isso que existem os pais: para orientar, para acompanhar, para ensinar, para explicar”.

Portanto, “o dever dos pais é estar junto e acompanhando para que essa criança não corra riscos graves, por exemplo, de sofrer assédio e ter acesso a pedófilos e esse tipo de coisa que tem acontecido muito na internet”.

E você? Tem acompanhado de perto a ação de seus filhos na internet?

A educadora Jane Garcia, responsável pelo Escola Bíblica Infantil (EBI), ressalta que “a criança é um ser em formação, ela não está pronta para decidir por si. Claro que ela pensa, tem preferências, mas os pais são os norteadores para que instruam seus filhos”.

Dessa maneira, um filho que utilize a internet sem supervisão corre grandes riscos, conforme foi descrito acima.

“Hoje educar e criar filhos é um desafio, a era digital facilita muito a vida, mas faz um estrago enorme com essa liberdade e facilidade que vem sendo embutida diariamente aos seres humanos e em especial das crianças”, afirma Jane.

A EBI auxilia os pais inclusive nessa questão. Clique aqui e conheça melhor esse projeto da Universal.


  • Andre Batista / Fotos: Getty Images e Reprodução WhatsApp 


reportar erro