Rede aleluia
Alemanha permite mudança de gênero a cada ano
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 18 de Julho de 2022 - 16:42


Alemanha permite mudança de gênero a cada ano

A nova proposta pretende facilitar a mudança legal de nome e gênero no país. Entenda

Alemanha permite mudança de gênero a cada ano

A Alemanha elaborou uma estratégia para facilitar a mudança legal de nome e gênero no país. Chamada de lei da autodeterminação, a proposta foi apresentada pela ministra alemã da Família, Lisa Paus.

O que você precisa saber:

  • A nova lei pretende substituir a “lei transsexual”, em vigor no país há 40 anos. Esta exige que a pessoa vá até a Justiça e apresente relatórios de especialistas para que consiga mudar o gênero e primeiro nome dos seus documentos.
  • Com a aprovação da nova lei, qualquer pessoa adulta poderá ir ao cartório e apenas declarar o novo gênero e novo nome, sem burocracias. Já para adolescentes maiores de 14 anos também será permitido mudar, com a aprovação legal de seus pais ou responsáveis.
  • A mudança formal de gênero não poderá ser alterada durante um ano, mas, depois disso, caso a pessoa deseje, poderá mudar novamente.
  • Não é só na Alemanha, a Bélgica, Dinamarca e Suíça são outros países europeus que permitem a mudança legal de gênero apenas por meio da autodeterminação.

O que analisar:

Não são poucos os causos de pessoas que mudaram de gênero, por conta de leis aprovadas para normalizar a ideologia de gênero ao redor do mundo, e se arrependeram. Inclusive, muitas vieram a público expor o que fizeram. Como a jovem Grace Lidinsky-Smith, que contou o seu caso no noticiário “60 Minutes”.

Ela tomou injeções de hormônios sexuais, removeu os seios cirurgicamente, começou a se transformar em um homem e depois se deu conta que estava completamente enganada. “Eu tinha o ambiente mais favorável possível para a transição: fácil acesso aos hormônios, uma comunidade afirmativa e cobertura de seguro. O que eu não tinha era um terapeuta que pudesse me ajudar a examinar os problemas subjacentes que eu tinha antes de tomar decisões médicas sérias”, destacou ela, que se considerava obcecada por questões de identidade. (Confira a história completa aqui.)

Outro caso também veio à tona recentemente nos Estados Unidos. Onde uma garota de 17 anos, ex-transgênero, está pedindo que os estados americanos tornem mais difícil o acesso à terapia hormonal para menores de idade. “Meus pais me levaram a um terapeuta que afirmou minha identidade masculina. E o terapeuta não se importou com a causalidade ou me encorajou a aprender a ficar confortável em meu corpo. Ele ignorou as preocupações dos meus pais sobre a eficácia dos hormônios, bloqueadores da puberdade e cirurgias”, relatou.

Anote aí:

Para saber mais sobre o tema, assista ao documentário “O Vestido Roxo”, que retrata a história de vida de Walt Heyer, que teve uma infância marcada por abusos sexuais e incentivo da avó para que o neto se vestisse como menina. 

As difíceis experiências o fizeram se questionar sobre sua sexualidade. Porém, um dia Walt resolveu procurar um especialista e foi diagnosticado com disforia de gênero. O documentário está disponível na plataforma Univer Vídeo.

Veja também:

Grandes empresas perdem milhões por posicionamentos ideológicos

Normalização da ideologia de gênero cresce no mundo pop

Polêmica: ideologia de gênero nas escolas


Alemanha permite mudança de gênero a cada ano
  • Redação / Foto: iStock 


reportar erro