Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 14 de fevereiro de 2019 - 10:17


A linguagem da depressão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que a depressão é a pior doença deste século. Saiba como curá-la

Um estudo publicado no periódico científico Clinical Psychological Science chama atenção para palavras que podem indicar depressão. De acordo com os pesquisadores, pessoas deprimidas tendem a usar termos específicos com mais frequência do que quem não está doente. Nesse sentido, a linguagem da depressão inclui palavras como:

– Triste

– Chateado

– Sozinho

– Péssimo

Além dessas palavras, o uso anormal de pronomes pessoais na primeira pessoa (eu, meu, mim) também indicam um afastamento do mundo, o que pode sugerir depressão.

A linguagem da depressão pode ajudar a vencer o mal do século

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que a depressão é a pior doença deste século. De acordo com a organização, o problema é tão grave que já se tornou a terceira maior doença entre adolescentes. Além disso, é a segunda principal causa de morte de jovens entre 15 e 25 anos no mundo.

 

Até 2025, acredita-se que a depressão se torne a doença que mais incapacita pessoas no mundo. Isso porque, ainda que não morram, os enfermos perdem a capacidade de viver (trabalhar, estudar, ter hobbies, praticar esportes, confraternizar…).

Em reportagem publicada no Portal R7, o professor do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) Guilherme Vanoni Polanczyk alerta para o fato de a maioria dos casos de depressão e de outros transtornos mentais começarem na puberdade. Segundo ele, nessa fase da vida, o número de casos de depressão aumenta substancialmente:

“O adolescente, em razão de todos os processos pelos quais passa durante essa fase da vida, precisa de um grupo para se identificar e se sentir pertencente. Ele é muito mais sensível às rejeições sociais do que o adulto e a criança”, disse.

Há cura para a depressão?

Muitos acreditam que tratamentos medicamentosos controlam, mas não curam, mas será que  colocar o organismo em risco e viciar uma pessoa em remédios é uma maneira eficaz de impedir depressão e suicídio? A experiência demonstra que não. Mesmo pessoas que utilizam remédios há anos seguem depressivas. Quando não, sentem-se perturbadas ou incapazes de agir e pensar naturalmente.

 

Isso tudo acontece, de acordo com o Bispo Edir Macedo, porque a depressão é uma doença do espírito, não do corpo. Portanto, não pode ser curada ao tratarmos o organismo.

A verdadeira cura

Para se libertar da depressão é preciso agir espiritualmente. O empresário Robson Rossin, de Ibiúna (SP), relembra como se sentia quando pensava em tirar a própria vida.

“Eu sentia uma tristeza, um vazio enorme, no qual a única coisa que vinha à minha cabeça era o fim da vida, o fim de tudo”, declara ele. “Eu vivia chorando, chorando, acabado, arrasado”.

Mesmo em estado tão crítico, ele encontrou cura para seu problema. Assista ao vídeo abaixo e saiba como isso aconteceu.

Você também pode ser curado da depressão. Compareça nesta sexta-feira à Sessão do Descarrego, em uma Universal mais próxima de você. Ou clique aqui e utilize o serviço Pastor Online, onde centenas de pessoas estão disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, prontos para auxiliarem as vítimas da depressão.

 


  • Andre Batista / Imagem: iStock 


reportar erro