Rede aleluia
Pensamento #28 — Só para quem quer ser rico
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 7 de Julho de 2014 - 00:01


Pensamento #28 — Só para quem quer ser rico

Pensamento #28 — Só para quem quer ser rico

Parte da série “40 Pensamentos de Jesus”. Veja todos os anteriores aqui, mas primeiro saiba como funciona o propósito aqui.

Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. Lucas 12.34

Desde criança aprendemos a depender de pessoas, conhecimentos, e riquezas. A princípio somos totalmente dependentes das primeiras pessoas que conhecemos: nossos pais e familiares. Estes, por sua vez, nos ensinam com as melhores das intenções, a estudar, ir bem na escola, para garantirmos um futuro estável. E uma das primeiras coisas que também aprendemos ao longo da infância e juventude é que dinheiro é bom e quanto mais tivermos dele, melhor.
O único problema é que tudo isso pode se tornar numa grande armadilha para nós mesmos.
Se nos apegarmos às pessoas que amamos, o que será de nós se elas nos decepcionarem, nos deixarem ou morrerem? Se dependermos somente dos conhecimentos que os estudos e a ciência podem nos oferecer, o que faremos quando seus limites não alcançarem nossas necessidades? Por exemplo, quando um médico nos diz que nossa doença é incurável ou quando o melhor advogado diz que nossa causa está perdida? E se fizermos do dinheiro nossa segurança, o que faremos se ele acabar ou não for o suficiente para resolver nossos problemas?
Por isso Jesus nos alertou: “Não faça nada terreno o seu tesouro. Porque nada terreno é seguro, durável ou infalível.” Nosso coração sempre estará apegado ao que muito valorizamos. E se o que valorizamos acabar ou nos falhar, com aquilo irá nossa vida. A solução? Ele deu a dica: “Ajuntem riquezas no céu, onde as traças e a ferrugem não podem destruí-las, e os ladrões não podem arrombar e roubá-las.”
Aplicação: Ame as pessoas, adquira conhecimentos, prospere o máximo que puder — mas jamais faça disso o seu tesouro. Quando Deus for sua riqueza, você nunca mais será pobre.
Você já foi profundamente abalado pela perda de alguém ou por sentimentos ruins causados por pessoas próximas? Já testou os limites da ciência e foi decepcionado? Já teve um problema que dinheiro não pôde resolver? Deixe seu comentário.

 

 
Veja também:

Cadastre-se nesse blog e seja avisado de novos posts…
 
unknown.png Curta nossa página no Facebook. 0% de besteira garantido — ou o seu click de volta.
 


reportar erro