Rede aleluia

Notícias | 20 de agosto de 2019 - 11:56


Perseguição religiosa: precisamos refletir sobre o dia 22 de agosto

A ONU instituiu um dia para incentivar a tolerância religiosa entre as pessoas

Recentemente, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou uma resolução para o Dia Internacional em Memória das Vítimas de Atos de Violência baseados em Religião ou Crença. A data registrada foi 22 de agosto de cada ano.

Esta ação foi liderada pelos países: Polônia, Brasil, Canadá, Egito, Estados Unidos, Iraque, Jordânia, Nigéria e Paquistão. Mas, a resolução foi aceita por unanimidade entre as nacionalidades que compõem a ONU.

Acima de tudo, o objetivo da memória é incentivar a liberdade de crença entre as pessoas e condenar atitudes de violência, preconceito, terrorismo, manifestação pública, entre outros males da sociedade atual com relação a este tema.

Cristianismo: perseguição no mundo todo

Inegavelmente, o cristianismo sofre grande perseguição ao redor do planeta. De acordo com a ONG Open Doors, que apoia cristãos vitimados no mundo todo, há mais de 245 milhões de pessoas que são reprimidas por sua fé no Senhor Jesus.

Na atualidade, o país mais perigoso para os cristãos viverem é a Coreia do Norte. Mas, a lista completa você pode conferir aqui.

Na China, por exemplo, não há liberdade de culto a Deus. O país asiático é fortemente controlado pelo Partido Comunista chinês. Há, também, constantes relatos de cristãos que são presos por falarem abertamente de sua fé. O Universal.org noticiou, em julho passado, sobre uma chinesa que afirma ter decorado capítulos inteiros da Bíblia em uma prisão.

Outro caso, dessa vez em Genebra, na Suíça, ocorreu com um famoso monumento feito em homenagem à Reforma Protestante, que foi vandalizado.

Obstáculos desde o começo

Por meio das Escrituras, sabemos que o Senhor Jesus havia alertado os discípulos sobre a perseguição que o cristianismo sofreria: “Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do Meu nome.” Mateus 24:9

Posteriormente, o apóstolo Paulo também falou sobre as lutas enfrentadas pelos cristãos: “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos.” 2 Coríntios 4:8-9

A perseguição contra a Universal

Assim também tem sido com a Universal, que ao longo dos anos tem sido alvo de ódio e preconceito vindos da incompreensão pública.

Em junho deste ano, duas Igrejas Universal foram vandalizadas em Salvador, capital da Bahia. Por meio de imagens registradas na época, é possível ouvir uma das manifestantes gritando ao megafone para o grupo que a acompanhava: “Incomode e não se acomode”. Confira:

Igualmente, durante as eleições de 2018, um grupo de 12 militantes atacou a sede da Universal em Fortaleza, no Ceará. Eles queriam colar adesivos no prédio defendendo a liberação do consumo de maconha. O grupo ainda agrediu os vigilantes com paus e pedras. Um dos profissionais foi ferido no braço direito e, posteriormente, encaminhado para o hospital.

No exterior não foi diferente. Ao término de 2017, a rede de televisão portuguesa TVI iniciou uma campanha difamatória contra a Universal no país europeu. A falsa acusação era a de que a Igreja promovia adoções ilegais de crianças, na década de 1990. Recentemente, foi provada a inocência da Universal e o inquérito foi arquivado pela Justiça portuguesa.

Nada a Perder 2

Em cartaz nos cinemas de todo o Brasil, o filme “Nada a Perder 2: Não Se Pode Esconder a Verdade” ilustrou os anos de perseguição vividos pela Universal e seu líder, o Bispo Edir Macedo, por causa da fé. Preconceito, ódio, inveja, violência e esquemas escuros cegaram muitas pessoas, na época.

Leia também: Nada a Perder 2: confira entrevista com Petrônio Gontijo

Uma dessas pessoas foi a pedagoga Lina Teixeira, de 58 anos. Apesar de sua formação acadêmica, ela se recorda que não suspeitava das falsas notícias espalhadas pelos meios de comunicação contra a Universal. Porém, uma experiência com a Igreja fez com que ela percebesse a verdade. Conheça a história de Lina na íntegra, por meio do vídeo abaixo:

Você pode conhecer mais histórias como a de Lina, clicando aqui.

Confira também o trailer oficial do filme:

Leia também: “Nada a Perder 2” mostra como o Bispo Edir Macedo enfrenta as adversidades

Você já assistiu o longa? Compartilhe nas redes sociais como foi a sua experiência.


  • Daniel Cruz / Foto: Getty Images 



reportar erro