Rede aleluia
Boa memória
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Núbia Siqueira | 27 de Junho de 2022 - 21:54


Boa memória

Leia e medite na mensagem de hoje

Boa memória

A memória é algo tão maravilhoso que não deveria ser desperdiçada com lembranças inúteis, não é? Já que ela é econômica e programada para não guardar tudo, precisamos diariamente separar o banal do importante, para construirmos nossas recordações.

Lembro-me bem da época da pré-escola e da dificuldade em aprender a fazer a letra “g”. Mas, o sorriso vem fácil só de recordar da satisfação em ter conseguido.

Senti-me uma mulher maravilha quando memorizei toda a tabuada e não errava mais no 9 x 7 ou 8 x 8, por exemplo.

Como são boas as lembranças do primeiro beijo no marido, da primeira professora, do primeiro emprego!

Essas recordações estão fixas no nosso cérebro.

Mas outras acabam com o nosso heroísmo mental. Tipo, qual a senha do e-mail, o número de telefone, onde colocou a chave, o nome da pessoa que acabou de conhecer…

Somos humilhados quando sequer lembramos o que comemos ontem.

E por que é assim?

Decidimos quase automaticamente o que é significativo ou não. Optamos por dizer a nossa mente que certas coisas são habituais e rotineiras, por isso não precisamos guardar.

Sem nos darmos conta, no amontoado do que não é importante, entrou o último beijo no filho, o novo aprendizado, a função atual, as pessoas que hoje nos ensinam…

E criamos a maldita ingratidão na nossa memória.

Então, precisamos aprender a ressignificar nossas memórias antigas, mas também guardar as novas memórias das coisas boas que temos vivido hoje.

P.S. No meu HD de boas memórias do Império, salvo mais uma reunião especial. Essa foi a primeira igreja que conhecemos em Portugal, em 1993. Inesquecível o primeiro dia, o primeiro culto, as primeiras amigas…

Foi muito bom! Mas Deus continua sendo fiel e hoje, em 2022, também é maravilhoso ver esse povo, cultuar com eles e continuar a ter amigas especiais.

Vamos construir boa memórias sempre?


Boa memória
  • Núbia Siqueira 


reportar erro