Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de fevereiro de 2020 - 00:05


Você pode estar sendo um ladrão dentro de casa

Como o oitavo mandamento de Deus tem a ver com o seu relacionamento

Quando Moisés subiu ao Monte Sinai, depois de liderar o povo hebreu após a saída da escravidão do Egito, recebeu um conjunto de normas morais específicas ditadas por Deus. Foi naquele momento que Deus deu aos homens os Dez Mandamentos escritos em tábuas de pedra. Eles são um resumo da Lei Divina que deve reger a conduta humana. Não são sugestões nem recomendações, mas regras que devem ser cumpridas e guardadas.

Falaremos agora do oitavo mandamento, que determina de forma direta: não roubarás. Muitos podem achar que ele se refere apenas a bens materiais, mas enganam-se. Embora seja uma frase curta e seu significado pareça limitado, sua abrangência é ampla. No relacionamento, por exemplo, se essa regra não for seguida, causará uma série de problemas.

Você não está entendendo nada, não é mesmo? Será que os maridos roubam de suas esposas? É exatamente isso. Hoje muitos homens roubam até dentro do próprio casamento. Não se trata de se apoderar de dinheiro ou de bens materiais. Estamos falando de outro tipo de apropriação indevida.

A decisão de um homem e de uma mulher construírem uma vida juntos tem muita relação com a afinidade que cada um identifica no outro e com a presença de Deus ou não em suas vidas. No entanto, depois de casados, há muitos homens que querem que suas esposas mudem até de personalidade.

É óbvio que o casamento deve ser uma evolução da vida a dois e as pessoas devem seguir nesse processo de crescimento. Mas, quando o homem pensa que pelo fato de estar casado tem motivos para mudar completamente a mulher e para tirar tudo dela, pode estar cometendo um erro grave.

Ele reclama que não gosta de sua aparência, de seus gostos e não perde a oportunidade de espezinhá-la. Isso é abuso emocional. Alguns homens inclusive não querem mais que ela trabalhe ou que conviva com seus familiares.

Nesse momento, o homem deveria se perguntar com quem se casou. Com um robô? Ele está com alguém que vai fazer ou falar só o que ele quiser? Ele pensa que a esposa é apenas uma figura decorativa para satisfazer as vontades dele? É claro que não. Portanto, quando ele fala para a esposa, por exemplo, que ela não sabe fazer nada nem se arrumar, faz que ela se sinta inadequada e isso também é um tipo de crime.

Veja as possíveis consequências dele. A esposa cede e até muda, mas se retrai. Ao perceber a mudança, o homem acaba perdendo o interesse nela, que já não é mais aquela pessoa que ele conheceu antes de se casarem. É um roubo com resultados catastróficos.

Na lei de Moisés, quando alguém roubava algo e era descoberto, tinha que devolver o que tinha roubado e, dependendo da situação, teria que dar de 20% até 100% a mais como restituição. No casamento, quando o homem rouba a mulher também deve agir de forma parecida.

Além de reconhecer seu erro, ele deve lhe pedir perdão.

Se o homem mentiu, terá que ser mais transparente dali para a frente. Se antes não compartilhava certas informações, agora terá que partilhá-las e fazer ainda mais porque roubou a confiança da esposa. Ou seja, terá que compensar o máximo possível a sua falha. Assim, com o passar do tempo e persistindo nesse novo comportamento, ele vai reparar a ferida que pode ter ficado.


  • Eduardo Prestes / Foto: Getty Images 


reportar erro