Rede aleluia

Notícias | 1 de dezembro de 2019 - 00:05


Vício em games tira a vida de mais um jovem

Adolescente tailandês foi encontrado morto após maratona de jogos no computador

No fim de outubro, um adolescente viciado em videogames foi achado morto diante de um computador em seu quarto, na Tailândia. O jovem Piyawat Harikun, de 17 anos, teria aproveitado um feriado escolar para fazer uma maratona de games no computador.

O pai do adolescente, Jaranwit, encontrou o cadáver do filho ao lado da cadeira na frente do computador. Ele tentou reanimar o jovem, sem sucesso. “Eu chamei o nome dele e disse ‘acorde’, ‘acorde’, mas ele não respondeu”, informou ao jornal Daily Mail. Ao lado do corpo, havia uma pilha de caixas de comida para viagem e uma garrafa de refrigerante.

Médicos que examinaram o corpo indicaram que o adolescente morreu por causa de um acidente vascular cerebral supostamente causado pelo uso constante do computador durante a noite.

vícios, comutador, jogos, madrugada

Vício
Ainda segundo o Daily Mail, o pai de Piyawat afirmou que o jovem era viciado em jogos e alertou outros pais sobre os riscos da dependência em videogames. “Meu filho era inteligente e sempre se saía bem na escola, mas tinha um grande problema com o vício em jogos. Tentei avisá-lo sobre suas longas e implacáveis horas jogando e ele prometeu reduzir esse tempo, mas já era tarde demais”, afirmou, de acordo a reportagem.

vício, games, jogos problemas, morte

Doença
No ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o vício em videogames como uma condição de saúde mental na atualização de sua classificação internacional de doenças (CID). Esta é a primeira vez que o distúrbio relacionado a games é reconhecido como doença.

“Para o transtorno de videogame ser diagnosticado, o padrão de comportamento deve ser de severidade suficiente para resultar em prejuízo significativo nas áreas pessoal, familiar, social, educacional, ocupacional ou outras áreas importantes, tornando-se evidente por pelo menos 12 meses”, afirmou a OMS, de acordo com o site das Nações Unidas. As estimativas da OMS são de que entre 2% e 3% das pessoas que jogam videogames desenvolvem um comportamento abusivo.

De acordo com a OMS, a classificação oferece um vocabulário comum para que todos os países possam registrar, relatar e monitorar problemas de saúde. A CID-11 entrará em vigor em 2022.

Fé contra o vício
Assim como outras dependências, o uso abusivo de videogames traz prejuízos para a vida familiar e profissional, além de afastar a pessoa do que é mais importante na vida. Por isso, cristãos devem ficar atentos aos excessos e buscar fortalecer a própria Fé por meio da meditação na Palavra de Deus.

Se você passa muitas horas em jogos eletrônicos e está deixando de lado outras áreas da vida, busque ajuda. Não deixe que o vício seja maior do que você. Na Universal, o Tratamento para a Cura dos Vícios ocorre aos domingos. Procure uma Igreja mais perto de você e participe. Verifique endereços na página 32 ou acesse universal.org/localizar.


  • Rê Campbell / Fotos: Getty Images 


reportar erro