Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de março de 2020 - 10:24


UNP proporciona a formatura de 77 internos em presídio do Pará

Dados apontam que dos presos que cumprem pena no país, 8% são analfabetos, 70% não possuem o ensino fundamental e 92% não concluíram o ensino médio

Uma parceria envolvendo o grupo Universal nos Presídios (UNP), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) está proporcionando aos detentos do Pará a oportunidade de se profissionalizarem, enquanto cumprem suas penas.

No início do mês de fevereiro último, 77 internos do Complexo Penitenciário de Americano, na Colônia Agrícola Penal de Santa Izabel do Pará, participaram da primeira turma de formandos. Os cursos oferecidos foram de Elétrica predial, Hidráulica predial, Serralheiro de Forro e Pintura Predial.

Depois de cumprirem uma carga de 40 horas de aulas práticas, os presos receberam os diplomas de conclusão dos cursos. Durante a cerimônia, estiveram presentes o Dr. Cristiano Torquato, do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), o diretor regional do SENAI, Sr. Dário Lemos, além de muitos diretores dos presídios de Belém e Região Metropolitana.

Bom comportamento

Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, dos mais de 812 mil internos que cumprem pena nas unidades prisionais do Brasil, 8% são analfabetos, 70% não chegaram a concluir o ensino fundamental e 92% não concluíram o ensino médio.

Mesmo com um nível de escolaridade baixo, apenas 13% dos presos têm acesso à educação nos presídios. Segundo o Pastor Henrique Pires, responsável pelo trabalho da UNP no Pará, as unidades prisionais devem ser vistas também como estabelecimentos educacionais e não apenas como locais de punição.

“Foram oferecidas 20 vagas em cada especialização. O bom comportamento e o maior tempo de pena foram critérios adotados para escolha dos internos que poderiam participar. Os cursos oferecidos pela UNP, além de promover qualificação profissional, impedem a ociosidade e proporcionam amparo legal para redução de pena, prevista na legislação brasileira”, explicou o Pastor Henrique.

Momento especial

Mais de 50 voluntários participaram diretamente desse evento. A perspectiva é de que muitos outros cursos sejam oferecidos através dessa parceria. Ao final, ainda foi oferecido um café especial para mais de 150 pessoas. Os familiares dos formandos também compareceram à formatura e puderam compartilhar desse momento especial com eles.

O grupo Universal nos Presídios atua há mais de 30 anos com a população carcerária, através do qual realiza um importante trabalho de resgate social. Para saber mais a respeito, clique aqui e acesse a página oficial da UNP no Facebook.


  • Cesar Gonçalves / Fotos: Cedidas 


reportar erro