Rede aleluia
Qual é o impacto do nosso testemunho na vida das pessoas?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de Fevereiro de 2021 - 14:56


Qual é o impacto do nosso testemunho na vida das pessoas?

Confira esta meditação da série "Sabedoria na Prática", disponível na plataforma Univer Vídeo

Qual é o impacto do nosso testemunho na vida das pessoas?

Quando observamos os ensinamentos do Senhor Jesus e dos apóstolos, talvez, a primeira percepção notável que temos é a de que, na caminhada cristã, a maneira como influenciamos a vida das pessoas conta muito. Porque Deus nos chamou para nos relacionarmos com o próximo. Desse modo, precisamos ter uma conduta firme até o fim, sempre dando um bom testemunho e zelando pelas pessoas ao nosso redor.

Na Bíblia, certa vez, o apóstolo Paulo, dirigido pelo Espírito Santo, falou sobre o assunto. Durante o episódio 73, de “Sabedoria na Prática” (uma série que expõe versículo a versículo da Bíblia), a escritora Núbia Siqueira comentou a passagem: “Porque bem sei a prontidão do vosso ânimo, da qual me glorio de vós para com os macedônios; que a Acaia está pronta desde o ano passado; e o vosso zelo tem estimulado muitos. Mas enviei estes irmãos, para que a nossa glória, acerca de vós, não seja vã nesta parte; para que (como já disse) possais estar prontos, a fim de, se acaso os macedônios vierem comigo, e vos acharem desapercebidos, não nos envergonharmos nós (para não dizermos vós) deste firme fundamento de glória.” 2 Coríntios 9:2

2 CoríntiosO contexto desta mensagem é o seguinte: durante o 1º século, a Igreja de Jerusalém passou por muitas dificuldades. Havia seca, perseguição aos cristãos e fome na região. E a Igreja de Corinto (a destinatária desta carta de Paulo), capital da província romana de Acaia (foto ao lado), rapidamente, prontificou-se a ajudar os cristãos em necessidade, que estavam em Jerusalém. Paulo ficou admirado com aquilo. Mas, com o passar do tempo, a Igreja de Corinto não cumpriu com o que havia se prontificado a fazer. Então, Paulo fez um alerta para eles.

“Na obra de Deus, sempre vai haver o testemunho (seja ele bom ou ruim). O apóstolo Paulo, quando ouviu a respeito da prontidão, viu aquilo como um bom testemunho. Então, ele tomou aquele bom testemunho e levou adiante. Mas você pode analisar: ninguém consegue ficar neutro diante da Obra de Deus. No Reino de Deus, não existe neutralidade. Sempre tem duas posições: a luz e as trevas, o bem e o mal, a justiça e a injustiça. Ou nós somos um bom testemunho ou nós somos um mau testemunho. É impossível você conviver com alguém, ter uma passagem na vida dessa pessoa e ser neutra”, explicou a escritora.

Em outras palavras, não bastava o bom testemunho inicial da cidade de Corinto. O povo precisava ter se mantido firme até o fim. Porque, no Reino de Deus, o que vale é terminar a carreira com fidelidade ao Altíssimo. Por causa disso, o bom testemunho de Corinto, transformou-se em mau testemunho.

“Nós fomos chamados para ser sal da terra, luz do mundo, o bom perfume de Cristo. Se não está sendo nenhuma dessas coisas, se está sendo indiferente, certamente, está sendo um péssimo testemunho”, alertou Núbia.

Portanto, fica a autoavaliação: será que temos sido um bom testemunho para as pessoas ao nosso redor? E estamos caminhando para cumprir a caminhada da fé com fidelidade a Deus? Pois, o mau testemunho além de prejudicar os demais, faz com que a pessoa desanime e fique pelo caminho.

Leia também: O que a primeira carta aos coríntios tem a nos ensinar?

Na plataforma Univer Vídeo, semanalmente, você pode conferir reflexões sobre a Palavra de Deus por meio das séries “Meditação na Palavra” e “Sabedoria na Prática“. Confira.


Qual é o impacto do nosso testemunho na vida das pessoas?
  • Da Redação / Foto: Getty Images, Marco Vanoli (CC)/Flickr 


reportar erro