Rede aleluia

Notícias | 12 de julho de 2019 - 09:01


Programa Entrelinhas: O retrato da miséria

Uma família marcada pelo vício, pela criminalidade e pobreza extrema, mas que encontrou na fé a saída para uma nova vida. Assista no Univer Vídeo

O Programa Entrelinha do último domingo, 8 de julho, trouxe a história do casal Rinaldo e Lilian Lourenço, cujas vidas foram marcadas pela miséria, pelo ódio, pelas drogas e a criminalidade.

Rinaldo cresceu em uma família completamente desestruturada e em situação de extrema pobreza. A mãe alimentava os filhos com restos de comida recolhidos nos lixões e com frutas e verduras que pegava do chão nas feiras ambulantes.

O primeiro homicídio

Aos 8 anos de idade, viu o irmão de 19 anos, que fazia parte de uma facção criminosa, ser assassinado. Dominado pelo ódio e pelo desejo de vingança, aos 9 anos cometeu o seu primeiro homicídio. Aos 16, já havia cometido três.

Por ser menor de idade, Rinaldo não permanecia preso. Assim, aos 16 anos, já era dono de uma biqueira. Lá, vendia maconha, cocaína e crack.

Relacionamento conturbado

Foi nesse período que conheceu Lilian. Na época, uma adolescente de 13 anos, também revoltada e viciada em maconha, cocaína e lança perfume.  Era na biqueira de Rinaldo que ela ia buscar a droga para consumir.

Assim como ele, Lilian também vinha de uma família desestruturada e alimentava um ódio muito grande pelo pai. Ela encontrou nas drogas sua válvula de escape.

Iniciaram ali um namoro, que culminou numa gravidez. Com o nascimento da filha, decidiram morar juntos, mas o relacionamento era recheado de drogas, baladas e agressões mútuas – verbais e físicas.

“Sempre dá para piorar”

Aos 16 anos, veio a segunda gravidez. O sustento da família Rinaldo vinha dos assaltos que fazia, garante ele. “Eu me dava 100% nos assaltos, não tinha medo de morrer, não tinha medo de nada. Tudo que tinha na minha casa era fruto dos assaltos que eu fazia”, recorda-se Rinaldo.

Enquanto isso, Lilian conta que recorria a uma determinada religião para obter algum favor. “Cheguei ao ponto de oferecer a minha filha para as entidades”, recorda-se.

Mas o casal – agora com 3 filhos – seguia cada vez mais afundado na miséria e nos vícios.

Leia também:

Programa Entrelinhas traz a história de uma mulher fria e sanguinária

Ex-assaltante diz que seu prazer era ver a vítima implorar pela vida

O início da mudança

Foi por meio de um colega e ex-parceiro de crime, que Rinaldo chegou à Universal. Ao notar a mudança do amigo, decidiu ir à igreja também.

Então, ele tomou a decisão de largar a vida do crime e se entregar a Deus. Aos poucos, as coisas foram melhorando e, embora, continuassem a viver no mesmo local, já não faltava mais nada para a família.

O casamento foi transformado e agora eles eram verdadeiramente uma família. Contudo, os filhos se tornaram problemáticos.

A história querendo se repetir

Natália, a filha mais velha, aos 12 anos, já fumava maconha e cheirava cocaína. E pior: demonstrava interesse pelo ocultismo. Sentia desejo de sangue e queria ser bruxa. Como se não bastasse isso tudo, a jovem se envolveu com um traficante.

O filho do meio, Felipe, seguia os passos da irmã. Estava sempre envolvido em confusão e mostrava ser uma criança cruel. Lilian chegou a ouvir da diretora da escola, onde o filho estudava, que ele seria mais um marginal.

Israel, o caçula, por sua vez, tinha vários problemas de saúde. Além de sofrer com o terror noturno.

Lamentavelmente, Rinaldo e Lilian começaram a ver a história deles se repetindo nos filhos.  Mas, a diferença é que agora eles conheciam o caminho que tinham de percorrer para alcançar a transformação deles. Eles sabiam que a única saída era partir para a fé.

Como termina essa história?

Acompanhe pelo Univer Vídeo, a história completa da família Lourenço e veja o que aconteceu. E entenda como, independentemente da situação que esteja vivendo, você também pode alcançar a transformação completa de sua vida e de sua família.


  • Jeane Vidal / Fotos: cedidas 


reportar erro