Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 21 de janeiro de 2020 - 12:06


O tempo de Deus e o guarda-chuva

Como uma situação inusitada pode nos ensinar sobre a confiança no tempo de Deus em nossas vidas. Entenda

Há muito tempo na presença de Deus e vivendo de acordo com a Sua Palavra, uma mulher sempre se questionava porque ainda não tinha visto alguns de seus pedidos, e que eram promessas dEle, se cumprirem em sua vida. Ela sempre apresentava esse questionamento em oração. Até que uma situação inusitada a fez entender como funciona o tempo de Deus.

Certo dia, ela resolveu fazer uma visita a uma amiga a quem não via havia muito tempo. Após uma tarde agradável de conversa, ao se despedirem, ela esqueceu o seu guarda-chuva. Quando se deu conta do esquecimento, ligou para a amiga e pediu que ela o guardasse, pois, posteriormente, iria buscá-lo.

Os dias foram passando e sempre que acertavam para a devolução do guarda-chuva, acontecia algum contratempo, e nunca a devolução acontecia.

Até que um dia, quando menos esperava, a amiga a encontrou e devolveu seu pertence esquecido. Fazia um dia lindo de sol e calor, e na hora ela hesitou pelo fato de ter que carregar o guarda-chuva em pleno dia ensolarado.

Só que, ao sair do lugar onde estavam, começou a chover muito. Mas, porque ela estava com o guarda-chuva, não se molhou.

Por meio daquela situação, Deus lhe mostrou que, quando Ele está no controle, tudo dá certo e acontece exatamente na hora em que deve acontecer. O que Ele espera é que confiemos.

Aquele guarda-chuva já era dela e deveria estar em suas mãos há muito tempo, mas o tempo de Deus não é o nosso tempo, Deus vê o que não vemos. Ele fez com que aquele guarda-chuva fosse para as mãos dela na hora exata.

No tempo certo

Assim são as bênçãos de Deus em nossas vidas. Elas já são por direito nossas e, no momento certo, virão para as nossas mãos, de uma maneira surpreendente.

O Bispo Edir Macedo ressalta que nenhum dos heróis da fé morreram sem antes desfrutarem do fruto do seu sacrifício. De igual modo, nos dias de hoje, não seria diferente com aqueles que manifestam a mesma fé sacrificial.

Ele explica que “independentemente de qualquer coisa, Deus fará a diferença na vida daqueles que O servem, porque há tempo para isso, ainda que nos reste pouco tempo”, como afirma as Sagradas Escrituras que “Deus julgará o justo e o perverso; pois há tempo para todo propósito e para toda obra” (Eclesiastes 3.17).

Leia também:

4 passos para vencer a ansiedade

Não dê jeitinho

Não há quem possar estar mais interessado em abençoar alguém do que Deus. Afinal, Ele sabe que uma pessoa só poderá glorificá-lO enquanto estiver vivo (Isaías 38.18-19), e que através do testemunho dela, muitas almas poderão ser salvas.

O Bispo explica que, por ser a fé a certeza de coisas que não vemos, mas esperamos crendo que iremos receber, quem tem fé “espera pacientemente para tomar posse daquilo que, pela fé, já lhe pertence. Ela não se apressa ou foge, e muito menos procura ‘dar uma mãozinha’ a Deus”.

Por essa razão, ainda que o tempo de espera esteja sendo longo, que inúmeros sacrifícios já tenham sido feitos, que as lutas pareçam não ter fim, o Bispo ressalta que a pessoa não deve se preocupar. Pois, a morte não chegará enquanto ela não desfrutar do fruto de seu sacrifício. E, concluiu dizendo que até mesmo depois da morte, ela continuará desfrutando dele.

Compartilhe essa mensagem com amigos e familiares que estão precisando confiar no tempo de Deus.


  • Núbia Onara / Foto: Getty Images 


reportar erro