Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de janeiro de 2020 - 00:05


O que fazer para combater a falta de água

Saiba como dicas simples podem ajudá-lo a economizar e também a contribuir com o meio ambiente

Quem já precisou ficar sem água em casa sabe como essa situação é horrível. Quando ficamos sem ela, percebemos o quanto precisamos dela para as coisas básicas, como tomar banho ou escovar os dentes. Mas o que não pensamos é que se não a usarmos de forma consciente, ela faltará para todos.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), cada pessoa necessita de 3,3 mil litros de água por mês, ou seja, cerca de 110 litros de água por dia para atender suas necessidades de consumo e higiene. No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros por dia. E tem mais: em razão da pressão da água nos encanamentos, o consumo é maior em edifícios e apartamentos.

A escassez de água é um problema que já afeta o mundo. Há vários fatores que motivam sua falta, como seca, poluição, má distribuição e desperdício. Quanto mais pessoas, maior é consumo de água e, por isso, daqui alguns anos, o aumento da população trará uma crise hídrica grave.

A falta de água já é sentida em diversas partes do planeta e nem precisamos ir muito longe para constatar isso. A cidade de São Paulo viveu, entre 2014 e 2015, uma situação complicada quando o Sistema Cantareira, seu principal conjunto de reservatórios, atingiu o menor nível da história. Em 2016, Brasília enfrentou seu primeiro esquema de racionamento por falta do recurso, por causa de um intenso período de estiagem. Já a região Nordeste do País sofre com a seca constante. No Brasil, a estiagem afeta a vida de mais de 10 milhões de pessoas.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a escassez de água afetará dois terços da população mundial em 2050, em decorrência do uso excessivo de recursos hídricos para a produção de alimentos. Por isso, o uso da água deve ser repensado e todos devem levar em conta que é impossível ficar sem ela. Se agirmos de forma consciente, todos seremos beneficiados.


  • Maiara Máximo / Arte: Éder Santos 


reportar erro