Rede aleluia

Notícias | 3 de dezembro de 2019 - 09:30


“O que faço para ter minha esposa de volta?”

Na Escola do Amor Responde desta semana, o aluno Evandro afirma que sua esposa o abandonou porque ele tem sido muito agressivo com ela. Os professores Renato e Cristiane Cardoso orientam o aluno qual é a atitude correta a ser adotada para que ele seja feliz nesta área.

EVANDRO – Tenho 23 anos e moro em Joinville, no Estado de Santa Catarina. Meu casamento acabou depois de três anos e oito meses. Durante nossa união, brigamos constantemente. No último ano, inclusive, não estávamos mais nos entendendo e não tínhamos respeito um pelo outro. Eu sempre fui muito estressado e, durante as brigas, até quebrava os objetos da casa. Certa vez, acabei dando um soco nela. Em outra ocasião, a derrubei no chão. Depois disso, ela voltou para a casa da mãe dela. O que faço para ter minha esposa de volta?

RENATO – Você tem um problema sério: não sabe lidar com o estresse nem com a raiva. Você lida com o que o desagrada de forma agressiva e violenta e isso não atrapalha só o seu relacionamento conjugal, mas também outros aspectos da sua vida. Quanto mais próxima a pessoa for de você, mais ela vai sofrer com o seu comportamento. Você não deve se perguntar apenas como reconquistar sua esposa, mas como vencer essa agressividade, essa deficiência que você tem de não saber lidar com a raiva. O seu casamento acabou por causa do seu estresse. Claro que sua esposa deve ter cometido os erros dela, mas isso não vem ao caso agora.

CRISTIANE – Às vezes, a pessoa fala que é nervosa, estressada e que vai ser desse jeito para o resto da vida, mas se comportar dessa maneira é errado. Por que algumas pessoas são assim? Muitas vezes esse comportamento vem do passado. Afinal, as pessoas são produto do que viveram. Por exemplo: uma pessoa que cresceu em um lar cheio de agressividade ou com o pai ou a mãe ausentes em sua criação pode ser carente hoje. Quando era criança, ela ficava com raiva do mundo porque olhava a vida das outras crianças que tinham o pai e a mãe presentes. Então, ela foi crescendo e outras coisas foram lhe causando raiva. Essa pessoa não aprendeu a lidar com a ausência ou com as dificuldades. Ela foi acumulando raiva na escola, nos namoros e, quando se casou, continuou sem saber como lidar com as situações que lhe provocavam raiva. É claro que não estou dando uma justificativa para o comportamento de todos que são assim. Mas isso é apenas para que o aluno entenda que pode ser isso que esteja acontecendo com ele.

RENATO – O ser humano só faz o que aprende. Ele nunca vai fazer algo que nunca aprendeu. Por exemplo: se você nunca aprendeu a falar russo, nunca vai falar esse idioma. Só no dia que você começar a estudá-lo é que vai falar. Da mesma forma, você aprendeu a ser agressivo porque viu esse tipo de comportamento como modelo, por meio de brigas, gritos, socos, pontapés entre seus irmãos, seus pais, e acabou só aprendendo a lidar com o estresse dessa forma. Mas a boa notícia é que você tem apenas 23 anos, é muito jovem e ainda pode aprender a ser diferente. Você não precisa se manter amarrado a essa maneira de ser para o resto da sua vida. Mas o primeiro passo começa em você: reconheça que isso é um problema e pare de focar na sua esposa. Não basta você falar, você tem que buscar ajuda e fazer uma reprogramação interna. Isso não quer dizer que você deva desistir da sua esposa, mas necessita reconhecer que, por mais que a ame, não pode ainda ficar perto dela e que vai buscar ajuda para depois poder reconquistá-la. Se ela vir que você está buscando ajuda, vai começar a acreditar na sua mudança. Procure ajuda na Terapia do Amor, que é uma reunião que acontece todas as quintas-feiras na Universal, inclusive está disponível na sua cidade, e comece seu tratamento para se curar internamente.

CRISTIANE – Essa é uma das especialidades da Terapia do Amor: reconstruir o seu “eu”. A maioria das pessoas não tem problemas de relacionamento, mas questões individuais mal resolvidas que levam para o casamento e elas se potencializam. Aí fica difícil, para não dizer quase impossível, viver uma vida a dois. Se você, sozinho, já tem problemas, imagine com outra pessoa que também tem. A maioria das pessoas não sabe amar, sabe apenas sentir a pessoa que está ao seu lado. Mas elas precisam saber se perdoar. É por causa disso que muitos casais acabam destruindo o casamento: eles erram diversas vezes e pedem desculpas também várias vezes. Só que, por mais que peçam desculpas, os cônjuges não mudam, porque não sabem agir de outra maneira. Então, aproveite o que está acontecendo e venha reconstruir o seu interior. Basta acessar o site terapiadoamor.tv e saber mais informações sobre essa reunião.


  • Kaline Tascin / Foto: Getty Images 


reportar erro