Rede aleluia

Notícias | 19 de novembro de 2019 - 12:29


“Escola de Mães” auxilia pais e mães no relacionamento com os filhos

Encontros mensais abordam temas relevantes e como agir. Saiba como participar

O que podemos fazer para melhorar o relacionamento com os filhos e com toda a família? O projeto “Escola de Mães” auxilia mães e também pais nessa jornada. A abordagem das reuniões mensais, realizadas todo primeiro domingo de cada mês, envolve temas recorrentes do relacionamento entre pais e filhos.

A exemplo da reunião realizada recentemente e que falou sobre imposição de limites e disciplina, uma das grandes causas de embates entre pais e filhos. A palestra foi ministrada por Edineia Dutra, responsável pelo trabalho do “Escola de Mães” no Brasil. Para ela, é relevante abordar esse tema, pois, muitos pais ainda não sabem lidar com a reação dos filhos diante de uma negativa.

“Muitos pais não querem lidar com a cara feia dos filhos e, por essa razão, não conseguem estabelecer limites, dando lugar à liberdade desmedida. Os limites antigos são os valores que formam a base do caráter. Valores como verdade, fidelidade, respeito, honestidade, seriedade e responsabilidade”, explicou.

E acrescentou: “Filhos criados com regras e disciplina, sentem-se mais protegidos, seguros e não terão dificuldades de se responsabilizar por seus atos. Os limites independem de época, ideologia, modismo e seguirão sendo determinantes para uma boa convivência social, emocional e espiritual.”

Pais dispostos a ouvir e a ensinar

Quando os pais estão dispostos a ouvir e a aprender, eles mudam, e também passam os ensinamentos aos filhos. Essa atitude produz reações em toda a família. Assim como aconteceu ao casal Marcondes Aleixo dos Santos, de 39 anos, e Regina Célia, de 36 anos. Eles já têm duas filhas, de 11 e 17 anos, e estão esperando o terceiro filho.

“Viemos juntos porque sempre procuramos estar unidos em tudo, principalmente no que diz respeito à fé. Eu, particularmente, não fui criado com o meu pai. Então, procuro sempre estar junto das minhas filhas, trabalhar os temas em mim primeiro e depois passar para elas”, disse Marcondes.

Quando chegaram à Igreja, o casamento deles estava arruinado. Mas, além disso, pai e mãe enfrentavam ainda um outro grande problema: a filha mais velha se automutilava, desde a infância.

“Buscamos ajuda no projeto e, a partir do momento que usamos a fé, tudo mudou. Aqui, aprendemos muito. Cada palavra nos motiva a agir diferente em casa. A cada mês, temos um novo desafio que colocamos em prática, não apenas no decorrer do mês, mas levamos para a vida toda. Hoje, nossa filha mais velha está liberta e ambas são muito obedientes quanto à fé”, contaram.

Onde pais são bem-vindos

É muito importante a participação do casal nas reuniões. Assim, o projeto passou a convidar e incentivar a participação da figura paterna também.

“Quando fazíamos a divulgação, muitos pais nos questionavam por qual razão havia aula apenas para as mães, já que eles também tinham participação na educação dos filhos. E, após as aulas, muitas mães diziam que os maridos deveriam estar presente naquele dia. Assim o projeto passou a ser chamado ‘Escola de Mães – onde pais são bem-vindos’. Com a participação do casal nas palestras, toda a família é beneficiada. Pois, não há divergência na educação dos filhos, já que ambos ouvem e praticam a mesma orientação. Essa é uma decisão inteligente dos pais, pois se discordam e discutem o tempo todo sobre a maneira de criar seus filhos, o desgaste no relacionamento conjugal será inevitável”, declarou Edineia.

Pais e mães em busca de orientação

Ademais, durante os encontros mensais também acontecem os atendimentos individuais uma hora antes do início da palestra. Voluntários, pastores e esposas atendem pais e mães em busca de orientação sobre problemas que afligem a família. Segundo Edineia é por meio dessas conversas que se percebe a real e atual necessidade dos pais na criação de seus filhos. E, também, se busca maneiras para que eles possam lidar com aquela questão.

O levita Luiz Antônio Dobrocca, de 69 anos, acompanhado de sua esposa, Elza Maria Martins Dobroca, de 65 anos, (ambos na foto principal) há pelo menos um ano atendem pais e mães que buscam orientação no projeto. Eles relataram um pouco das suas experiências nesses atendimentos.

“Muitos pais têm dificuldades em suas famílias, às vezes separados e não sabem se portar direito com os filhos. Então, nós temos procurado orientá-los dentro da Palavra de Deus, mas também dentro de uma realidade que estão inseridos, para que busquem apoio em Deus e para que essa situação que estão vivenciando seja transformada. É muito gratificante ajudar”, afirmaram.

Relacionamento com os filhos

A dona de casa Joanisia Alves, de 39 anos, é mãe de duas filhas, uma de 15 e outra de 8 anos. A convite de sua irmã participou, recentemente, pela primeira vez do projeto e do atendimento. Ela relatou o quanto aprendeu após ouvir e compreender as orientações sugeridas.

“Eu gostei muito de participar. Já senti uma mudança em mim. Porque eu sou muito mandona, gosto que minhas filhas façam as coisas sempre com urgência. Contudo, aprendi que temos que nos colocar no lugar delas, além de respeitar o tempo delas. Mas, sempre dando limite com responsabilidade para saber o que é mais importante naquele momento. Eu tenho que me observar primeiro para depois poder dar o exemplo. Vou continuar vindo, pois, como o nome diz aqui é uma escola, então, será um aprendizado constante”, disse.

A irmã dela, Maria Alves Lima, de 29 anos, está há 10 meses no projeto e contou que, nesse ínterim, está aprendendo a ser uma mãe que compreende e respeita suas filhas.

“Aprendi a respeitar para ser respeitada e a me interessar pelo que está acontecendo com elas. Minha filha mais velha, de 12 anos, está na fase de transição da infância para a adolescência e outras mudanças na escola. E, eu não estava sabendo lidar com tudo isso. Aprendi a ouvir minhas filhas e a ter tempo para elas e a opinar sobre o que é justo. É uma nova vida. O comportamento delas também já mudou em casa”, concluiu.

Como participar do projeto

As reuniões do “Escola de Mães” acontecem mensalmente em todas as capitais brasileiras.Em São Paulo, as reuniões mensais acontecem todo primeiro domingo do mês, às 16h, no 10º andar do Templo de Salomão.

O grupo também promove atividades extraclasse, como cine-pipoca e piquenique, que permitem maior interação entre pais e filhos.

Para os que não têm acesso às aulas presenciais, podem aprender nas aulas online na plataforma de vídeos Univer. Acesse para mais informações.


  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro