Rede aleluia
Ele venceu 251 tumores pré-cancerosos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 12 de janeiro de 2020 - 00:05


Ele venceu 251 tumores pré-cancerosos

Conheça a história de Fé e cura de Sandoval da Silva Cardoso

Ele venceu 251 tumores pré-cancerosos

Em 2010, Sandoval da Silva Cardoso, hoje com 37 anos, começou a ter dores nas pernas, sensação de estar febril, cólicas abdominais e sangue nas fezes. Diante desse quadro, ele procurou ajuda médica. Depois de realizar exames, foi constatado que Sandoval tinha polipose adenomatosa familiar no intestino grosso, conhecida como polipose múltipla.

A doença é considerada hereditária e geralmente são encontrados 100 ou mais pólipos pré-cancerosos, que se desenvolvem ao longo do intestino grosso e no reto. No caso de Sandoval, foram detectados 251 pólipos pré-cancerosos no intestino grosso. Ele conta que foi submetido a uma colectomia, cirurgia para a retirada parcial ou total do cólon, e teve que usar uma bolsa de colostomia, para desviar as fezes para o abdômen, e em seguida começaria a quimioterapia.

“Imagina a minha situação diante daquele diagnóstico, ainda mais quando o médico me disse que usaria a bolsa de colostomia para o resto da vida. Eu não aceitei aquela palavra porque acreditava que Deus poderia reverter aquela realidade”, explica Sandoval, que já era Pastor há quase um ano na Universal quando enfrentou o problema de saúde.

Sandoval ficou oito dias internado, entre cirurgia e período de observação e depois recebeu alta. Já em casa, ele passou a fazer a corrente da cura. “Eu, como Pastor, não poderia me acomodar. Eu passei a tomar a gota do milagre, pois sabia que o Deus que eu pregava para as pessoas me tiraria daquela situação.”

Vivendo a fé
Após dois meses, os médicos constataram que Sandoval tinha melhorado e que não precisaria mais usar a bolsa de colostomia. No entanto, ao voltar para a casa depois da retirada da bolsa, Sandoval precisou retornar às pressas para o hospital por conta de uma forte dor no abdômen.

O Pastor recorda que ficou internado novamente. “Logo fui submetido a uma tomografia e foi diagnosticado um abcesso no dreno, que era a causa das dores. Me levaram para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para uma nova avaliação. Fiquei mais 29 dias internado.”

Passado o tempo de recuperação, Sandoval recebeu alta novamente e ali começaram novos obstáculos. “Dei início à quimioterapia. Os médicos disseram que mesmo com a quimioterapia o câncer poderia voltar, mas eu não aceitei aquela palavra de morte. Eu sabia que só resolveria aquele problema com Deus no Altar.”

O Pastor fala que sacrificou o que tinha em prol da sua saúde. Ele conta que começou a apresentar uma melhora surpreendente e que teve certeza que isso aconteceria assim que desceu do Altar. “Fiquei totalmente curado e nunca mais tive nada. Também não preciso usar mais a bolsa.

Tenho uma saúde excelente, levo uma vida normal e não preciso tomar nenhum tipo de medicação porque Deus e o Altar me proporcionaram a restauração da saúde”, finaliza o Pastor. Hoje ele faz a Obra na Bahia com a esposa, Herlaine Cardoso.

Sandoval venceu a doença por meio da mesma Fé que o motiva a ganhar almas pelo mundo. Você também pode desfrutar da cura. Procure a Universal mais próxima.


Ele venceu 251 tumores pré-cancerosos
  • Maiara Máximo / Fotos: Cedidas 


reportar erro