Rede aleluia

Notícias | 6 de setembro de 2019 - 11:37


Desempregados caem em fake news

Recentemente, um falso anúncio de empregos formou uma fila gigantesca no Rio de Janeiro. Veja como uma notícia mentirosa pode ser prejudicial

Recentemente, uma fake news (notícia falsa) prejudicou centenas de pessoas de um município do Rio de Janeiro. Mensagens compartilhadas por duas redes sociais divulgavam supostas vagas de emprego no Centro de Niterói, em agosto. As mensagens falavam sobre a inauguração de uma sede do Sistema Nacional de Empregos (Sine-RJ).

No dia anunciado (16/08), a fila começou a se formar logo de madrugada. Mas, a notícia era mentirosa. Pela manhã, um funcionário da Prefeitura de Niterói foi ao local, desmentiu o boato e a fila se desfez.

Prejudicados por mentiras

A “brincadeira” de muito mau gosto custou o desperdício de tempo, dinheiro de passagem, entre outros transtornos físicos e emocionais aos que foram enganados.

Da mesma forma, qualquer notícia falsa pode prejudicar uma pessoa em vários aspectos. É preciso estar bem atento e não acreditar em qualquer coisa que lê na internet.

A Universal sabe bem o que é isso. Durante seus 42 anos de existência, enfrentou diversas lutas e perseguições, frutos de mentiras divulgadas pela mídia.

Algumas delas são retratadas no filme “Nada a Perder 2: Não Se Pode Esconder a Verdade”. Mas, na era da tecnologia, outras ainda são constantemente divulgadas pela internet e redes sociais.

Assim sendo, milhares de pessoas que poderiam ser alcançadas por Deus por meio desta obra, continuam sofrendo por conta de um preconceito infundado.

Ela era mais uma vítima

Uma das que alimentava um preconceito contra o Universal com mentiras era a jornalista Marcela Araújo. Ela acreditava, sem questionar, nas mensagens que falavam mal da igreja.

Mas, ela estava com o interior destruído, até o dia em que deixou o orgulho de lado e provou se o que ouvia sobre a Universal era verdade.

Confira no vídeo abaixo seu depoimento na íntegra:


  • Rafaella Rizzo / Fotos: Getty Images 


reportar erro