Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 22 de maio de 2020 - 00:58


COVID-19: primeira vacina deve chegar em breve, garante empresa americana

Remédio deve chegar à população ainda em 2020

A empresa de biotecnologia americana Moderna divulgou essa semana os resultados dos testes em humanos da primeira vacina contra COVID-19 testada nos Estados Unidos da América (EUA). De acordo com as informações, o resultado é o ideal.

O remédio preventivo foi testado em 45 pessoas, em dosagens diferentes, e todas elas criaram anticorpos capazes de neutralizar o novo coronavírus. O único efeito colateral apresentado foi um caso de vermelhidão no local da injeção. Não houve qualquer reação grave à vacina.

Próximos passos

A vacina já recebeu o selo de aprovação da FDA, agência governamental responsável pela liberação de remédios.

A empresa produtora também já assinou contrato tanto com o governo dos EUA, quanto com uma indústria farmacêutica multinacional suíça. O objetivo é fazer com que a vacina seja produzida em larga escala e disponibilizada o quanto antes.

Antes que isso aconteça, porém, ainda é necessário passar por duas fases de testes de segurança. Uma delas vacinará 600 voluntários. A outra deve acontecer em julho, com milhares de pessoas sendo vacinadas.

O diretor médico da Moderna Tal Zaks afirmou que tudo se encaminha para que a vacina esteja disponível para uso comercial já no segundo semestre de 2020. Ou, no máximo, no início de 2021.

Outra vacina que deve ser levada ao público ainda em 2020 é a produzida em Oxford. A Universidade inglesa pretende produzir um milhão de doses já em setembro. Clique aqui e saiba mais a respeito.


  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro