Rede aleluia
Como derrubar as muralhas que têm lhe aprisionado
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de Setembro de 2021 - 20:01


Como derrubar as muralhas que têm lhe aprisionado

Assunto foi destaque na palestra da Terapia do Amor. Confira

Como derrubar as muralhas que têm lhe aprisionado

“Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas” 2 Coríntios 10:4

Foi com base nesse versículo que o Bispo Renato Cardoso, e sua esposa, Cristiane Cardoso realizaram a palestra da Terapia do Amor, na última quinta-feira (02).

Ele explica que o versículo em questão se refere à guerra que acontece na mente das pessoas: de argumentos, de fortalezas, de muralhas que são construídas ali e as tornam prisioneiras.

“O mal domina a pessoa por meio, principalmente, de ideias, pensamentos contrários, e a pessoa que se torna convencida desses argumentos é como se estivesse com uma muralha entre ela e a nova vida que deseja. Ela não consegue ultrapassar aquela muralha do argumento”, destaca.

Cristiane Cardoso, por sua vez, esclarece, que se tratam de argumentos que a pessoa coloca acima da Palavra de Deus.

Para explicar o porquê de as pessoas terem esses argumentos tão fortes dentro delas, Cristiane cita o exemplo de Raabe, a prostituta que ajudou os espias (enviados por Josué para sondar a terra prometida) se esconderem.

Muralhas no relacionamento

Assim como Raabe, muitas pessoas tiveram um passado horrível. Mulheres que foram abandonadas pelos pais, cresceram sem carinho e sem nenhuma estrutura familiar, tendo que se virar sozinhas desde cedo. Então, aprenderam desde muito novas a não dependerem de ninguém, ser independentes e individualistas. Então, quando elas se casam e têm que compartilhar a vida delas com outra pessoa, elas não conseguem, continuam com a mesma mentalidade de quando estavam sozinhas. De que não podem depender de ninguém e que, portanto, não podem esperar nada do marido, do contrário, irão sofrer. Então, elas não se abrem para o relacionamento.

“E relacionamento é vida a dois, não dá para ter um relacionamento e continuar tendo a sua vida separada da outra pessoa. Então, ela se casa e não tem um relacionamento, porque ela tem essa muralha. Quantas mulheres não têm essa muralha e falam assim: ‘Eu nunca vou depender de homem!’; elas têm tanto medo de depender do marido que vivem para o trabalho delas, não têm tempo para a família, para o marido, e por isso, acabam o perdendo”, lamenta Cristiane.

Isso não quer dizer que a mulher tenha que depender do marido, o que você precisa entender é que não pode permitir que esses argumentos sejam mais fortes do que a Palavra de Deus.

A proposta da Terapia do Amor

Raabe, por exemplo, mesmo tento vivido um passado horrível, quando ela ouviu falar do Deus de Israel, na primeira oportunidade que ela teve de manifestar a sua fé, ela não titubeou. Com certeza, ela tinha muito medo de sofrer. Quanta violência ela já não devia ter sofrido como prostituta? Como ela ia crer naqueles homens estranhos, naqueles espias? No entanto, naquele momento ela tomou uma decisão, não pelo que via, mas pela fé dela. Pois, embora não conhecesse aqueles homens, ela cria no Deus deles: o Deus de Israel.

“E é isso que a Terapia do Amor está propondo para você. Você crer? Sim, existem homens que não são legais, assim como existem mulheres. Há pessoas assim no mundo, realmente, tem gente que sofreu muito e faz outras pessoas sofrerem, mas você não pode se fechar para o amor por causa dessas pessoas”, ensina Cristiane.

Renato destaca que, normalmente, quando se fala que as muralhas de Jericó vão cair, a visão que temos é de Josué e os seus guerreiros do lado de fora das muralhas, olhando para dentro. Mas, muitas vezes, acontece ao contrário. Pois, a muralha está prendendo você do lado de dentro. “Você está atrás das muralhas, você é prisioneiro dos argumentos que você construiu na sua cabeça”, ressalta.

Vale destacar que todos os habitantes de Jericó tinham ouvido falar do Deus Israel, mas apenas Raabe creu. Mesmo sendo uma prostituta, a fé que ela demonstrou impediu que ela perecesse com os moradores daquela cidade.

A Palavra de Deus deve estar acima de tudo

Para o Bispo Renato, isso mostra que o que Deus valoriza numa pessoa é a fé, não o passado dela ou o que ela está vivendo ou sofrendo.

“A maior dificuldade que Deus encontra para mudar a sua vida não é o seu passado, não é o seu presente, mas a sua incredulidade. Se você crer, nenhuma dificuldade da sua vida é dificuldade para Deus. Mas você tem que crer. Você tem que entender que, talvez, esteja debaixo de uma dominação, debaixo de uma fortaleza que foi criada e construída na sua cabeça. E por crer nesse argumento, você se derrota e dá força para o mal dominar a sua vida”, alerta.

E só existe uma arma capaz de destruir esses argumentos: a Palavra de Deus.

De acordo com o Bispo Renato, quando a pessoa crer na Palavra de Deus – como Raabe creu – e colocar essa Palavra acima de tudo, acima de todos os pensamentos e argumentos que o mundo colocou na cabeça dela, essa Palavra derruba as fortalezas do inferno e, então, ela, finalmente, é liberta.

Você pode assistir essa e as palestras anteriores pela plataforma Univer Vídeo.


Como derrubar as muralhas que têm lhe aprisionado
  • Jeane Vidal / Foto: Istock e Reprodução 


reportar erro