Rede aleluia
Como agir no convívio em casa com as crianças sem gerar ansiedade
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 30 de março de 2020 - 15:13


Como agir no convívio em casa com as crianças sem gerar ansiedade

Veja as dicas para os pais ajudarem seus filhos a passar pelo período de distanciamento social mantendo uma boa saúde emocional

Como agir no convívio em casa com as crianças sem gerar ansiedade

Devido à suspensão das aulas em todo o País, as crianças e os adolescentes estão em tempo integral dentro de casa. A quarentena em caráter preventivo ao Coronavírus também deixou muitos pais cumprindo medidas de isolamento social. Diante dessa realidade, como agir no convívio em casa com os filhos para que, com essa mudança repentina, eles não sejam afetados diretamente e levem essa carga até à fase adulta?

A ansiedade diante de situações cotidianas, por exemplo, é um tipo de comportamento que quando exacerbado se torna um transtorno à saúde mental. E, a ansiedade atinge tanto adultos quanto adolescentes e crianças. Com o cenário atual da pandemia, a enxurrada de informações que todos recebem diariamente pode levar a sentimentos como o medo e trazer sofrimento e prejuízo como a diminuição da autoestima nos mais jovens.

Outro aspecto que conta é a ansiedade dos pais que influencia de maneira crucial a saúde de seus filhos. “Sabemos que os pais são as primeiras e principais figuras de referência para os filhos. Pois, os pais desempenham papel fundamental para que a criança consiga encontrar recursos para lidar com as situações geradoras de ansiedade”, comenta Neia Dutra, responsável pelo trabalho do projeto Escola de Mães.

Uma dessas situações é a quarentena que impôs a todos o isolamento social provocando as mais diversas reações em adultos e crianças. “A rotina interrompida, a falta de contato com os colegas de escola ou amigos habituais, pode gerar angústia, tristeza, raiva e ansiedade na criança que nem sequer compreende o que está acontecendo. E para piorar, diariamente são bombardeadas por informações negativas e pessimistas sobre o futuro que elas não conseguem processar”, explica Neia.

Pais e filhos dentro de casa

Pensando na importante tarefa dos pais, principalmente agora, de ajudar seus filhos a passar por esse período mantendo uma boa saúde emocional, a responsável do projeto Escola de Mães pontuou as 5 dicas abaixo:

1) Procurar conter sua própria ansiedade para que seu filho não absorva seus medos e suas preocupações

Quando os filhos percebem que há alguma coisa errada com os pais, eles se tornam tão ansiosos como os adultos. E somado a essa ansiedade, eles tendem a se culpar pela aflição dos pais;

2) De acordo com o repertório de cada idade, explique ao seu filho o que está acontecendo

Conte que as escolas e muitas outras intuições estão fechadas porque nos foi aconselhado ficar em casa para não nos contaminarmos ou transmitirmos a doença para os mais debilitados. Finalize dizendo que a reclusão é um momento necessário, mas passageiro;

3) Aproveite para ensinar a seus filhos de maneira lúdica

Use e abuse de histórias, músicas e vídeos para estimular a fé das crianças, ou mesmo para ensinar sobre a importância da higiene e também outras disciplinas;

4) As crianças devem ser protegidas do excesso de informação

Elas não conseguem processar toda a enxurrada de notícias. Cabe aos pais o controle do que assistem ou ouvem nesses dias, para não gerar angústia e não aumentar a ansiedade das crianças;

5) Os pais devem aproveitar esses dias e estreitar os laços afetivos com seus filhos

Envolva-se e se ocupe com as coisas que interessam ao seu filho. Desenvolva brincadeiras que não utilizam tecnologia. Retire do armário as brincadeiras e atividades de infância que podem ser reproduzidas dentro de casa.

Cartilha com atividades para fazer com as crianças

Para ajudar a enfrentar esse período difícil e tornar os dias mais leves e animados a Escola de Mães criou uma cartilha especial com receitas fáceis de fazer  e dicas de brincadeiras divertidas,  para os pais fazerem com os filhos.  Além disso, a cartilha contém indicação de desenhos cristãos, da Turminha da Fé, para você assistir com os pequeninos.

Para ter acesso ao conteúdo clique aqui e faça o download da cartilha.

Escola de Mães

O projeto tem como finalidade levar às famílias ensinamentos no âmbito do relacionamento familiar, onde é abordado temas sobre as melhores práticas para conviver, educar e orientar os filhos. Para saber mais sobre o trabalho desenvolvido pelo Escola de Mães, acesse o site oficial do grupo e acompanhe as dicas do Minuto Escola de Mães. Ou ainda nas aulas online por meio da plataforma Univer Vídeo.

ATENÇÃO: Até que se definam outras medidas sobre a quarentena e o isolamento social, as reuniões mensais da Escola de Mães serão online, como a desse mês de abril, que ocorrerá no próximo dia 12, domingo, às 16h. Será uma live, transmitida pelo Instagram oficial do grupo. Para acompanhar, clique aqui, e participe.


Como agir no convívio em casa com as crianças sem gerar ansiedade
  • Michele Roza / Fotos: Getty Image 


reportar erro