Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de junho de 2019 - 00:05


Cerimônia de troca das bandeiras reúne mais de 20 mil pessoas

A solenidade no Templo de Salomão contou com a presença especial do Bispo Edir Macedo e o comparecimento de diplomatas de 27 países

O primeiro dia de junho teve um significado especial para mais de 20 mil pessoas que compareceram à Cerimônia da Troca das Bandeiras, no Templo de Salomão, em São Paulo, SP. Pastores, obreiros, evangelistas, jovens e convidados de diversas localidades presenciaram o hasteamento de 128 bandeiras – que representam as nações nas quais a Universal realiza o trabalho evangelístico e mais a bandeira da Universal – e puderam refletir, em seguida, sobre a obediência e a missão que o Senhor Jesus deixou aos Seus discípulos: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a todas as criaturas”, como está escrito no livro bíblico de Marcos, 16.15.

Com essa mensagem, o Bispo Renato Cardoso falou da responsabilidade que todos os servos que já tiveram a fé revelada têm de espalhar a todas as nações as “boas notícias” contidas na Palavra de Deus. “Aonde chegar o Evangelho verdadeiro, não a religião, aquela nação é abençoada. Assim como foi prometido ao nosso pai na fé, Abraão, que, através da fé revelada a ele, todas as famílias da terra seriam abençoadas.” (Genesis, 12.2-3).

O Bispo apontou que os países possuem diferenças, problemas ou guerras. No entanto, reforçou que se todos derem ouvidos à voz de Deus as dificuldades cessarão. “Esta é a missão do Evangelho: levar paz, a Palavra de Deus, que a une as nações.”

O momento foi prestigiado por representantes diplomáticos de 27 nações: Rússia, República Dominicana, Albânia, Benim, Armênia, Senegal, Chile, Nigéria, Namíbia, Austrália, Emirados Árabes, Moçambique, Ucrânia, Espanha, Guiné-Bissau, Estados Unidos, Uruguai, Cabo Verde, Angola, Chipre, Turquia, México, Bolívia, Equador, Tanzânia,
Quênia e Haiti.

A todas as nações
Desde a inauguração do Templo de Salomão, em 2014, a Universal se expandiu por mais 14 países. Hoje, ela está presente em 127 nações.

Em cada um desses lugares, há pastores – com suas respectivas esposas –, voluntários, obreiros e membros que saíram do Brasil em direção a locais com idiomas, costumes e climas diferentes do que estavam acostumados. São pessoas que receberam do Senhor Jesus uma vida plena e, então, se dispuseram a dar as suas vidas também pelo próximo.

Em todo momento e em qualquer lugar no mundo, existem pessoas dando o melhor de si e cuidando umas das outras. “Mesmo com todas as lutas e perseguições, não olhamos para os lados nem para o que estão falando ao nosso respeito. Nós focamos na Palavra de Deus. Em que Ele nos diz que, se obedecemos essa Palavra, ela tem que se cumprir, porque não é a palavra do homem, mas a de Deus”, enfatizou o Bispo Renato Cardoso.

A solenidade também contou com a oração especial do Bispo Edir Macedo direcionada às nações. Ele determinou que, assim como nos lugares onde a Palavra de Deus encontrou chão fértil para ser semeada existiu nelas paz e prosperidade, o mesmo ocorreria nos países que estão divididos e em conflitos.

Cerimônia para todos

Enquanto acontecia a solenidade, intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) viabilizavam o acesso do evento a surdos presentes no local. O Pastor Rondineli da Silva, responsável pelo trabalho da EVG Libras, afirmou que os surdos participaram do evento normalmente graças ao projeto. “Isso tem sido muito importante porque são almas, e é necessário alcançar a todos.”

Dia especial
Antes de começar, a cerimônia já era especial para muitas pessoas que estavam na expectativa, como Ariane da Cunha, de 24 anos e sua mãe, Elizabete da Cunha, (foto abaixo) de 43 anos. Elas saíram de Campinas, no interior paulista, para chegar ao local quatro horas antes do início.

“Desde o primeiro dia que ouvi falar desta cerimônia especial, me preparei, porque quero dizer ‘eis me aqui’ para o Senhor, que Ele pode contar comigo”, disse a jovem.

De maneira semelhante ocorreu com a cozinheira Joana Darc, de 66 anos – obreira há 19 anos. “Estou me preparando já faz dois dias, e eu pedi para Deus para sair daqui diferente no meu modo de agir e pensar.”

A cerimônia foi encerrada com a oportunidade que todos tiveram de entregar a vida a Deus e a explicação do real sentido dessa entrega: que não deve ser apenas com palavras, mas com o fato de priorizar o Senhor Jesus nas atitudes acima de todas as coisas.


  • Michele Francisco / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro