Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de fevereiro de 2020 - 09:53


Campanha de arrecadação auxilia vítimas do temporal

Voluntários prestaram assistência às vítimas das fortes chuvas em São Paulo, que ocasionaram cinco mortes e deixaram centenas de pessoas desabrigadas

As chuvas que afetaram o Estado de São Paulo no dia 10 de fevereiro deixaram um rastro de destruição na capital, Grande São Paulo e interior e um saldo de cinco mortos: todos em cidades do interior.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) foram registrados 114 milímetros de chuva em São Paulo, o segundo maior para um mês de fevereiro, em 24 horas, em 37 anos. A medição foi feita no mirante de Santana, zona norte da capital paulista.

Somente a central do Corpo de Bombeiros recebeu mais de 10 mil chamados em função das chuvas. Ao todo, as equipes atenderam 1.043 ocorrências de enchentes, 193 de desabamentos ou desmoronamentos e 219 relacionadas a quedas de árvores.

Em Osasco, região metropolitana de São Paulo, houve um deslizamento de terra no Morro do Socó, na Rua Colina D’Oeste. Um menino de 7 anos soterrado foi levado ao hospital, onde permanece em estado estável. O pai dele teve ferimentos na perna e também está internado.

Na capital, os rios Tietê e Pinheiros transbordaram em vários pontos, o que levou à interrupção do tráfego nas marginais e causou caos no trânsito. Com os alagamentos nos bairros, carros e pessoas ficaram impedidos de se deslocarem. Os ônibus e os trens também tiveram a circulação afetada.

Segundo balanço divulgado pela Defesa Civil na manhã do dia 11, 516 pessoas ficaram desalojadas e 142 desabrigadas, sendo que os maiores estragos ocorreram no Vale do Ribeira, na região metropolitana da capital, na Baixada Santista e no Alto Tietê.

Solidariedade
Diante do caos instalado, com o objetivo de ajudar as vítimas afetadas por essa calamidade, a Universal e seus voluntários iniciaram rapidamente uma campanha de solidariedade. Assim, desde os primeiros momentos, arrecadaram doações de alimentos básicos e não perecíveis (arroz, feijão, óleo, macarrão, açúcar e leite), além de água mineral em garrafas de 500 ml.

Produtos de higiene pessoal (papel higiênico, pasta de dente e escova, desodorante, absorvente, sabonete, entre outros) também estão sendo arrecadados, além de colchões, roupas para criança, toalhas, cobertores, calçados, fraldas e roupas íntimas.

Se você mora em São Paulo e quer colaborar, basta procurar uma Universal mais próxima de sua casa e fazer a doação. Todos os itens serão destinados às vítimas das chuvas.

Assistência
Cerca de 100 voluntários do Unisocial se deslocaram para dar assistência às vítimas que perderam suas casas ou tiveram que abandoná-las por medida de segurança. No Estado, mais de 3.500 voluntários se mobilizaram para apoiar o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil nos trabalhos de resgate. As famílias desabrigadas e desalojadas receberam cestas básicas, água mineral, produtos de higiene e roupas.

O responsável pelo grupo da Evangelização do Brasil, Leandro Zangarini, avalia que o apoio da Universal em momentos como esse é de grande importância. “Além de prestar auxílio social às pessoas que perderam tudo, oferecemos também apoio emocional para quem está desestruturado pela perda de muitos bens”, relata.

No mês passado, cerca de 10 mil pessoas ficaram desalojadas no Espírito Santo, enquanto em Minas Gerais pelo menos 55 morreram e mais de 40 mil ficaram desabrigadas. Em meio a todos esses desastres, a Universal reuniu mais de 6 mil voluntários para auxiliar as vítimas.

*Com informações do UNIcom


  • Sabrina Marques / Fotos: Getty images e cedidas 


reportar erro