Rede aleluia

Notícias | 16 de janeiro de 2019 - 09:14


Atriz Cristiane Machado receberá indenização de ex-marido

Ex-diplomata que agredia atriz é condenado a pagar multa milionária

A Justiça determinou na quarta-feira (9) que o ex-diplomata Sergio Schiller Thompson-Flores terá de pagar indenização de R$ 1.200.329,53 à atriz Cristiane Machado, que o acusa de agressão.

A atriz apresentou à Justiça vídeos, áudios e fotos que comprovam diversas agressões físicas realizadas por Sergio durante o período que foi casada com ele. Preso desde 25 de novembro, ele deverá pagar a indenização por descumprir o contrato nupcial.

Além da compensação financeira, Sergio ainda responde na Justiça pelas agressões cometidas e pode ser condenado à prisão. Outras três mulheres também se apresentaram à imprensa como vítimas de agressões do ex-diplomata.

Atriz Cristiane Machado é uma entre milhões de vítimas

Sergio Schiller Thompson-Flores se entregou à polícia no dia 25 de novembro. Isso após quase um mês de ter a prisão decretada. Nesse mesmo dia, a Organização das Nações Unidas (ONU), emitiu um relatório demonstrando que o lugar mais perigoso para uma mulher é dentro de sua própria casa.

De acordo com os estudos realizados pela ONU, 58% das mulheres vítimas de feminicídio são mortas por pessoas que frequentam sua residência, especialmente cônjuges e ex-cônjuges, namorados e familiares. Apenas em 2017 foram mais de 50 mil mulheres mortas nessas condições. No total, 87 mil mulheres foram mortas por questões ligadas ao gênero.

“No mundo todo, em países ricos e pobres, em regiões desenvolvidas e em desenvolvimento, um total de 50 mil mulheres são assassinadas todo ano por companheiros atuais ou passados, pais, irmãos, mulheres, irmãs e outros parentes, devido ao seu papel e a sua condição de mulher”, afirma o documento da ONU.

A América é o segundo continente mais violento nesse quesito, atrás apenas da África. Aqui existem 1,6 mil feminicídios a cada 100 mil habitantes.

Prevenção e apoio às mulheres

Ainda segundo relatório da ONU, a maioria das mulheres mortas em feminicídios foram agredidas outras vezes pela mesma pessoa antes do assassinato. É o caso, por exemplo, de mulheres que convivem com marido violento. Ele agride com cada vez mais intensidade até chegar o momento em que tira a vida da esposa.

Somente no Brasil, mais de 500 mulheres são agredidas por hora segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Por isso é tão importante que a mulher, já na primeira vez que for agredida, busque ajuda.

As mulheres vítimas de violência podem realizar denúncias pessoalmente nas delegacias ou por meio do telefone. basta ligar 180 para denunciar o agressor à Central de Atendimento à Mulher.

Durante o programa “Escola do Amor Responde”, o casal Renato e Cristiane Cardoso orientaram uma ouvinte que estava sendo agredida por seu esposo a se separar imediatamente.

“Ele é um homem violento”, afirmou Cristiane. “Para uma pessoa violenta qualquer coisa pode ser razão para agredir a esposa”.

Atriz Cristiane Machado“Você no mínimo tem que se separar do seu marido porque você está sendo abusada por ele”, concordou Renato. “E não importa se você tem filho com ele, se você gosta dele, se ele faz algumas coisas boas para você. As coisas boas que ele faz não compensam as ruins”.

De acordo com o apresentador, uma pessoa agredida deve se separar imediatamente, antes que outra agressão ocorra.

“Se depois da separação ele falar que não é isso o que ele quer pode ser que a separação force ele a reconsiderar a posição dele e mudar. Mas essa mudança terá que acontecer por um tempo para que você então possa aceitá-lo de volta. Não é em uma semana, dois dias que que vai acontecer isso”, concluiu Renato.

Clique aqui e ouça ao programa completo onde Renato e Cristiane Cardoso esclarecem dúvidas dos ouvintes.

A ajuda necessária

O Projeto Raabe auxilia mulheres agredidas desde 2011. Criado com o objetivo de oferecer apoio a mulheres em geral, o grupo desenvolve diversas atividades e se especializou em atender vítimas de violência.

“Por meio do Raabe oferecemos suporte emocional e espiritual. Isso com aconselhamentos e cursos, a fim de elevar a autoestima dessas mulheres. Tudo para incentivar a autoconfiança e o amor próprio”, conta a coordenadora nacional do projeto, Fernanda Lellis. “Contamos com conselheiras, profissionais e voluntárias, advogadas e assistentes sociais. Todas prestando apoio às mulheres que necessitam de orientação espiritual e esclarecimentos sobre questões jurídicas e sociais”.

Para obter ajuda do Projeto Raabe a mulher pode entrar em contato via WhatsApp, no número 95349-0505. Ou ir diretamente dos endereços da lista que você pode acessar clicando aqui.


  • Andre Batista / Imagem: Reprodução Facebook @machadocristiane 


reportar erro