Rede aleluia
A regra de ouro para vencer as suas guerras
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 21 de Novembro de 2021 - 00:05


A regra de ouro para vencer as suas guerras

A regra de ouro para vencer as suas guerras

Todo mundo está travando suas guerras pessoais. Todos estão enfrentando lutas e ainda tentando ajudar quem está ao seu lado. Ao mesmo tempo, todos querem ser respeitados pelas outras pessoas e poucos buscam entender o próximo. De forma geral, existe muita falta de compreensão. O ser humano quer ser compreendido, mas é muito rigoroso quando são os outros que pedem empatia. Vivemos em um mundo onde as pessoas vivem se machucando, se atingindo, julgando. Julgam o exterior, sem saber o que se passa no interior e sem lembrar de que o que o outro está passando por dentro reflete no lado de fora.

Se você quer ser uma pessoa melhor, antes de exigir empatia, pratique-a. Entenda que todos têm suas lutas. Consequentemente, não tenha grandes expectativas de que essas pessoas sabem o que você está pensando, sentindo ou enfrentando. Caso contrário, sempre se frustrará.

O Evangelho diz: “trate seu próximo da maneira que gostaria de ser tratado”. Se você gostaria que a pessoa fizesse algo por você, faça por ela. E lembre-se: Jesus disse para dar com a mão direita, sem deixar a esquerda ver, para que esta não pense ser sua vez.

Vivendo assim plantamos compreensão, empatia e amor prático. Isso vai, a seu tempo, voltar para nós. A Palavra de Deus não retrocede. E ela diz “dai, e ser-vos-á dado” (Lucas 6.38). À medida que damos, darão para nós e virá daquela pessoa ou não. Algumas pessoas só querem receber, mas não querem dar. Não despertaram e não sabem que a alegria da vida é dar e não receber.

Talvez a pessoa nem lhe agradeça. Não fique esperando que elas lhe tragam algo de volta. Deus cuida de nós e uma hora chegará em que tudo isso será recompensado. Faça o que é certo, independentemente de o outro estar agindo errado. Assim, você não se frustrará com as pessoas. Você terá paz. Aplique essa regra de ouro em sua vida: se você puder fazer algo para ajudar, faça.

Você certamente colherá os frutos.


A regra de ouro para vencer as suas guerras
  • Bispo Renato Cardoso / Foto: getty images 


reportar erro