Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 24 de junho de 2018 - 03:05


A importância da comunicação no ambiente de trabalho

Entenda como você pode melhorar as relações dentro da empresa e se tornar mais produtivo

É fato que se comunicar é algo indispensável. Já dizia um velho ditado popular que “quem não se comunica, se trumbica” ou, em outras palavras, quem não se faz entender e não percebe o significado do que o outro diz terá sérios problemas. E, se essa percepção é necessária para a vida, imagine o quanto é fundamental para o trabalho e para as relações que se estabelecem nele, entre chefe e subordinado, entre vendedor e cliente e assim por diante.

Bater ou correr

Para Juliana de Lacerda Camargo, de 43 anos (foto abaixo), coach e profissional de desenvolvimento, a comunicação é extremamente importante quando se fala de trabalho. “Seja verbal ou não verbal, se for bem conduzida, com clareza e no momento certo, o seu impacto é positivo e produtivo, mas o contrário também pode ocorrer. Se alguém se sente ameaçado por algo que foi dito, tende a entrar em um sistema de bater ou correr e passa a reagir defensivamente, o que também diminui os momentos de criatividade, tamanho o impacto que a fala pode causar”, avalia.

Habilidade

Uma das situações mais comuns no trabalho é quando chefe e empregado não se entendem. Por conta disso, os resultados nem sempre acabam saindo de acordo com o que foi estabelecido inicialmente. Com uma experiência de quase duas décadas auxiliando pessoas em áreas como gestão e liderança, Juliana afirma que situações desse tipo são ideais para observar se é preciso desenvolver e melhorar a comunicação. “Comunicar é uma habilidade e depende de dois momentos: o primeiro é aprender como fazer; o segundo é desenvolver o que foi absorvido. É o mesmo princípio usado em qualquer aprendizado para o desenvolvimento de habilidades pessoais: colocar em prática o que aprendeu e fazer ajustes seguidamente para que a comunicação ocorra da melhor forma”, avalia.

E como fazer isso? Analise se você está se comunicando da maneira correta. “Saiba ouvir. Procure entender o que foi dito e pedido para poder executar isso corretamente. Tenha clareza e segurança naquilo que deseja comunicar (você pode estar falando demais apenas para passar uma ideia). Saiba o que diz e para quem está falando, qual linguagem deve ser usada com cada pessoa. Seja claro e comunique-se de forma curta, precisa e generosa”, explica Juliana.

Ela alerta que o profissional deve estar atento ao impacto do que vai dizer. “A conversa precisa estar focada na solução do problema e, no momento adequado, dê uma sugestão de algo que seja mais produtivo para aquela situação”, orienta.

A linguagem do corpo

Para uma boa comunicação, Juliana sugere ainda que a pessoa perceba o outro. “Veja como você se coloca e perceba como o outro está. Depois, é importante avaliar o que não é dito. Se o seu chefe franze a testa quando lhe faz um pedido, por exemplo, talvez aquela demanda seja mais importante do que as demais e tenha que ser passada à frente de outras”, assinala.

Quatro posturas

A especialista afirma que uma das formas de colocar em prática o que ela indica é observar os chamados “4Cs”. O primeiro C significa coração. “Aquilo que é dito tem que ser algo que faça sentido e que seja prazeroso, que você associe coisas boas ao que está fazendo.”

O segundo se refere a consciência. “Ele tem relação com saber o que está fazendo, com atenção, intenção e retroalimentação, aprendendo durante o processo.”

A cadência representa o terceiro C. “Se na academia, por exemplo, você faz exercícios com ritmo para desenvolver a musculatura, no trabalho também deve existir um certo ritmo para se comunicar.”

O quarto e último é relaciona-se a consistência. “Não adianta executar uma ação uma vez e achar que tudo se resolveu. É preciso repetir essa ação para que ela tenha resultado e seja entendida pelo outro.”

Feedback

Para a coach, também não se pode esquecer de algo fundamental para que o processo da comunicação ajude nas interações no ambiente empresarial: saber dar feedback aos funcionários. O retorno é sempre bem-vindo quando se aplica à comunicação de forma positiva. “Ele é importante para tudo, essencial para completar esse quebra-cabeças no qual nos preocupamos com o nosso crescimento e do outro. Ele contribui para que a equipe se mantenha alinhada e motivada. Dessa forma, a produtividade aumenta e a empresa cresce. Chefe, empregado e clientes, todos ganham com isso”, conclui.

Congresso para o Sucesso

Uma reunião que inspira novas ideias e traz motivação para
superar desafios financeiros. Todas as segundas-feiras no Templo de
Salomão em uma Universal mais próxima de você. Confira horários e
endereços
aqui


  • Por Eduardo Prestes / Fotos: Fotolia e Cedida  


reportar erro