Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de janeiro de 2020 - 22:52


A Arca da Aliança teria sido guardada neste templo, na época de Samuel

Templo de mais de 3,1 mil anos foi escavado na região de Bet Shemesh

Arqueólogos da Universidade de Tel Aviv escavaram um templo de mais de 3,1 mil anos na região de Bet Shemesh, perto de Jerusalém, em Israel (foto acima).

Eles acreditam que o local está relacionado com a seguinte passagem bíblica: “E andavam os de Bete-Semes fazendo a sega do trigo no vale, e, levantando os seus olhos, viram a arca, e, vendo-a, se alegraram. E o carro veio ao campo de Josué, o bete-semita, e parou ali onde havia uma grande pedra. E fenderam a madeira do carro, e ofereceram as vacas ao Senhor em holocausto. E os levitas desceram a arca do Senhor, como também o cofre que estava junto a ela, em que estavam os objetos de ouro, e puseram-nos sobre aquela grande pedra; e os homens de Bete-Semes ofereceram holocaustos e sacrifícios ao Senhor no mesmo dia.” 1 Samuel 6:13-15

Objetos são evidências

O interessante é que na área da escavação, de fato, havia uma grande pedra (foto abaixo) como a descrita pela passagem. Então, possivelmente, a Arca da Aliança pode ter sido guardada ali durante algum tempo.

Além disso, dentro do templo há um bamah, uma plataforma usada em cerimônias religiosas. Igualmente, tinham 2 pedras côncavas que podem ter sido usadas como prensas para produzir óleo sagrado. Em outro canto havia jarros de cerâmica decorados e uma pilha de ossos de animais.

“Esse seria um caso raro no qual podemos mesclar a narrativa bíblica com uma descoberta arqueológica”, explicou Zvi Lederman, um dos líderes da escavação, ao Haaretz.

Profanação contra o templo

Há, ainda, sinais de destruição datados do século 12 antes de Cristo (a.C.). Algo que pode estar relacionado com uma invasão dos filisteus, porque eles tinham um povoado próximo chamado Tel Batash e era um evento comum naquela época. Após o conflito, o templo se tornou em um curral de animais.

“Para mim, isso é um ato de hostilidade, uma profanação intencional de um lugar sagrado”, continuou o arqueólogo.

A Arca da Aliança permanece um mistério

Até os dias de hoje, a Arca da Aliança não foi encontrada e, portanto, permanecesse um mistério. Ela foi construída nos tempos de Moisés e representava a presença de Deus entre o Seu povo.

No Univer Vídeo, há um documentário sobre este artefato sagrado. Clique aqui e confira.


  • Daniel Cruz / Fotos: Reprodução Dr. Zvi Lederman 


reportar erro