O que o apedrejamento de Judite pode nos ensinar sobre perdão?

Uma das cenas mais impactantes da novela nos traz uma lição valiosa. Confira


Por Daniel Cruz / fotos: Munir Chatack, Edu Moraes e Blad Meneghel/Record

A novela Jesus – exibida pela Record TV, de segunda a sexta-feira, às 20h45 – mostrou uma cena impactante: a condenação de Judite, esposa de Caifás. Confira:

A dádiva do perdão

Essa cena nos faz pensar sobre a misericórdia de Deus. Ele é tão bondoso que mesmo sendo rejeitado a todo momento pela humanidade continua amando a todos. Chegou a oferecer o próprio Filho em holocausto em favor de Sua criação (João 3.16). Entretanto, os seres humanos fazem o oposto.

Por mais que as pessoas admirem o dom do perdão do Altíssimo, elas não o praticam. Isso acontece porque somente quem nasce de Deus recebe as características dEle.

Absolver não é uma atitude natural dos seres humanos. Porque, o que vem de Deus é tão elevado, são virtudes tão nobres, que se tornam impossíveis de serem aprendidas por meio de conhecimento terreno. Para tê-las, a pessoa precisa recebê-las do Espírito Santo.

Laila: o exemplo que o Senhor Jesus deixou

Só para exemplificar, a cena de Judite é muito similar àquela vivida por Laila, quando o marido a flagrou com Jairo. Ela foi arrastada por Simão até o Senhor Jesus, enquanto uma multidão a seguia.

Vazias do amor ao próximo, aquelas pessoas apanharam pedras para condenar Laila. Todavia, o Mestre ofereceu o que tinha dentro de Si: bondade.

Relembre a cena:

Leia também: O que podemos aprender com a “mulher adúltera”?

Vale notar que as pessoas que condenaram Judite sabiam da história de Laila. O Senhor Jesus já havia deixado o exemplo. Porém, ninguém foi transformado com o que Ele fez naquele dia. As pessoas não tiveram perdão, não tiveram misericórdia. O mesmo tipo de postura encontramos na atualidade com os horrores estampados na mídia e até mesmo nas pequenas interações sociais do dia a dia.

Sobre o perdão Divino ensinado por Jesus por meio da história da mulher adúltera, em João 8, o Bispo Edir Macedo explica que a insensibilidade espiritual impedia que os religiosos vissem o sofrimento interior da mulher flagrada em adultério. Já, o Senhor Jesus via sua dor e desejava restaurar sua vida. “Da mesma forma que o Salvador a enxergou com olhos espirituais, aqueles que recebem o Espírito Santo passam a ver o que as pessoas naturais não veem: a necessidade da alma aflita. Com isso, vemos que, se de um lado, a mulher indefesa e perdida encontrou pessoas cruéis, do outro, encontrou a oportunidade de ser perdoada e acolhida por Deus. Ele, em Sua infinita justiça, dá oportunidade a todos.”

Pare de sofrer

O Bispo continua explicando que há uma verdade incontestável: todos nós somos pecadores. Diante disso, somente quem é perfeito está qualificado para exercer a função de juiz espiritual, e assim julgar e condenar os outros por seus erros. Muitos acreditam que, pelo fato de conhecerem as Escrituras, são privilegiados diante de Deus; no entanto, conhecer a Verdade e não obedecer a ela torna o ser humano ainda mais culpado perante o Senhor. O pecado de quem se torna acusador é maior que todos os pecados do acusado.

Por isso, se você carrega consigo uma dor interior, dê uma chance a si. Apresente a sua situação para o Altíssimo. Ele é o Único que lhe compreende e perdoa, quando ninguém mais o faz. Não perca tempo. Participe ainda hoje de um encontro no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de sua casa.

Continue acompanhando também a novela Jesus. Por meio dela, é possível compreender em detalhes as lições que Ele deixou, quando estava em forma de homem neste mundo. No Universal.org você confere também muitas informações e reflexões.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O que o apedrejamento de Judite pode nos ensinar sobre perdão?

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games