Rede aleluia
Loucuras da Fé
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 30 de junho de 2017 - 05:55


Loucuras da Fé

Loucuras da Fé

Nestes quarenta anos de Igreja Universal do Reino de Deus, aprendi o maior e mais eficaz segredo da Fé: o sacrifício. Não o aprendi na Faculdade de Teologia nem nos primeiros treze anos de fé. Aprendi com o desenvolvimento da IURD, exercitando a fé inteligente, ainda que tropeçando nos seus mistérios, algumas vezes caindo nas armadilhas da fé emotiva, enfim…

O Espírito Santo achou por bem me conduzir a desertos para aprender a separar a fé emotiva da fé racional. As dificuldades do deserto obrigam o uso da Fé inteligente para a sobrevivência. Na prática, aprendi que quanto maior é o sacrifício maior é a firmeza da fé consciente, e maiores as conquistas. Não me lembro de ter alcançado uma só vitória na base da oração ou do jejum. Apesar de serem fundamentais na comunicação com Deus, ainda assim, tinham de ser acompanhados de atitudes, aparentemente, “loucas”, impetuosas, mas carregadas de convicção do Espírito de Deus.

Deus é O que opera em nós tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade. Filipenses 2.13

Confesso, muitas vezes fiquei apavorado e tentei retroceder. Como era tarde demais, tive de ir em frente. Não havia outra escolha. Não fosse a direção do Espírito do Todo-Poderoso, certamente, estaria perdido.

Creio que nenhum herói da fé da Bíblia foi corajoso por si só. Antes, sua audácia e coragem vieram dAquele que operou neles tanto o querer como o efetuar.

O sacrifício confirma a fé e estimula a coragem do sacrificante. Israel que o diga. No passado, antes de sair à guerra, os sacerdotes apresentavam sacrifícios a Deus. Tais sacrifícios não tinham nada a ver com perdão de pecados. Eram sacrifícios de ações de graças ou gratidão antecipada pela vitória sobre os inimigos. Vestidos da armadura da fé que o Senhor dos Exércitos era com eles, os soldados partiam para cima dos inimigos sem a mínima preocupação de seu poderio militar. Os sacrifícios sinalizavam a aliança com o Todo-Poderoso e, consequentemente, a certeza da vitória.


reportar erro