Rede aleluia
Alguém que finalmente achou o PERDÃO DE DEUS
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 4 de julho de 2020 - 00:02


Alguém que finalmente achou o PERDÃO DE DEUS

"Enfim, posso declarar uma nova vida com Deus..."

Alguém que finalmente achou o PERDÃO DE DEUS

Que felicidade poder vir aqui hoje para dividir essa experiência maravilhosa.
Enfim, posso declarar uma nova vida com Deus…
Tudo se fez novo… começando pelo meu interior.

Há 17 anos chegava à Igreja Universal uma jovem vítima de inúmeros problemas…
Nasci na miséria, fui vítima de pedofilia aos 10 anos, sofri muitas humilhações, rejeições, e fui assim recebida com amor e aceitação na Universal.

Acreditaram em mim e confiaram em alguém que ninguém confiaria lá fora…
Me aceitaram quando o mundo me desprezava.
Eu era jovem e a vida inteira fui vítima.
Esse foi meu maior problema, porque a vítima é tratada com defesa. Ela não é acusada de nada.

Eu conheci o Deus de Amor. E como toda vítima que é acolhida, eu desejei retribuir. Nunca tinha me sentido daquela forma, alguém importante…
Passei a me valorizar e ser obstinada em dar amor às vítimas deste mundo.
Essa gratidão me fez deixar tudo para servir a Deus.

O problema é que passei de vítima de miséria e desprezo a vítima das perseguições e injustiças…Mas isso só me motivava a continuar…
Mas a vítima sempre tenta se defender… E assim eu passei 17 anos na igreja. Eu não conheci o banco dos réus.

Com 18 anos de idade, eu não tinha clara consciência do que tenho hoje…

Quando o tempo foi passando, as feridas dessa vítima começaram a aumentar. Estava sendo vítima de um casamento que não estava dando certo, fazendo a Obra de Deus, mas cheia de questões dentro de mim…

“Por que tanto sofrimento? Por que, para mim, tudo foi sempre tão difícil?”
Eu olhava as pessoas ao meu redor e, triste, pensava: “Como para elas tudo parece dar certo. Por que Deus permitiu sempre eu estar sofrendo desde que nasci?”

Cris, quando lhe procurei, estava desesperada, só vinha à minha mente: “Você não precisa passar por tudo isso… chega!”

Eu estava cansada de ser vítima de tudo aquilo…

Você me ajudou a não desistir naquela hora.
Então, eu passei a, com toda sinceridade, buscar a luz. A luz que me faria entender e enxergar toda verdade.

E a verdade, Cris, era que eu estava tentando sustentar meu castelo, mas cada vez ele desmoronava mais…
Até que eu, que até então era tão “corretinha”, comecei a cometer alguns erros que pareciam ser o estopim do fim…

Eu me ajoelhei e disse: “Senhor, acabou, estou rendida aqui… Tudo desmoronou. Eu me entrego, porque não sei mais o que vai ser de mim…”

Foi neste momento que Deus teve oportunidade de me convencer que, na verdade, eu estava sentada no banco dos réus.

Deus me fez ver, no meio dos entulhos, as minhas ações como um filme em minha mente.

Ele me disse: “Não dava pra manter de pé algo que estava comprometido. Olha como você foi prepotente, arrogante…”

Foram vindo cenas de situações nas quais a minha reação foi má, momentos em que fui mesquinha, que me julguei superior ou sutis pensamentos impuros me convenciam que eu estava certa, de que não havia do que se arrepender, que eu sempre era a melhor no que fazia, por isso, alcançaria algo melhor na obra, enfim, pecados e mais pecados disfarçados…

Me senti tão suja e envergonhada de pensar como era orgulhosa, vaidosa, superior.

Então, eu busquei naquele momento o perdão…

Como eu era vítima a vida toda, não tinha refletido nem sequer pedido perdão com sinceridade e consciência do meu pecado cometido no mundo e, consequentemente, parecia que erros diários eram normal da minha humanidade.

Estava tão enganada, por tanto tempo…

Hoje tudo está tão claro!
Entendo essas pessoas que cospem no prato que comeram na Universal. São vítimas que nunca se viram como pecadoras.

Pois, minha nova condição de pecadora já não deixava eu me achar merecedora de nada…

Só de ter recebido o perdão de Deus para mim já era minha maior gratidão…
Depois de 17 anos, conheci o Deus Salvador.

Temo tanto em pensar que vivi tantos anos achando que estava salva, quando nem sequer havia me arrependido verdadeiramente.

Depois que fui limpa e meus olhos se abriram, passei a plantar.
Já não buscava amor, atenção do meu marido. Já não tinha aquele sentimento vitimizado…
Eu só queria plantar crendo na Palavra de Deus.

De fato, passei a colher novos e bons frutos. Meu interior, meu olhos, minha mente e coração já não eram mais os mesmos.

Uma paz indescritível habitava dentro de mim todos os dias. Já não era mais egoísta. Pensava verdadeiramente na dor do meu próximo.

Agora minha meta era como ajudar meu esposo a também ser alguém melhor.
Eu passei a me importar de verdade em agradar a Deus e obedecer a Ele em tudo…

Hoje tudo é novo em minha vida.
Vivo novo relacionamento com Deus e com as pessoas ao meu redor, vivo um novo casamento com meu esposo. Vivo com a paz da salvação.

Anônimo


Alguém que finalmente achou o PERDÃO DE DEUS
  • Cristiane Cardoso  


reportar erro