Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 19 de outubro de 2019 - 00:01


A espada de Pedro

Pedro foi um dos principais discípulos de Jesus. Teve fé e coragem para abandonar as redes de pesca de peixes e ingressar na escola de pesca de almas. Não sei quem ou o que o levou a adquirir, mais tarde, uma espada para seguir na escola da fé.

Não creio que, a princípio, ele tenha trocado as redes por uma espada. Creio sim que, no decorrer dos dias, percebendo que o SENHOR e os demais discípulos estavam “desprotegidos” dos malfeitores, Pedro tenha aderido à ideia de somar à proteção do SENHOR uma arma de defesa física.

É a situação de muitos hoje em dia. Creem na provisão da Palavra, mas, de alguma forma, querem apoiar sua confiança em algo mais físico…

Chama atenção o fato de o Senhor não o desaprovar. Não o fez para ensinar todos os demais discípulos. Aquela arma partiu a fé de Pedro em duas partes: uma parte da fé estava em Jesus e a outra parte estava na espada.

Muitos que têm posto a mão no arado têm agido da mesma forma: confiam na subsistência do Altar, mas querem se garantir nos bens materiais.

A espada de Pedro não era um pecado, mas se tornou em armadilha para a sua fé. Ele mostrou ao diabo sua fé dividida e, consequentemente, sua debilidade espiritual. Prova disso foi quando aconselhou Jesus a não subir para Jerusalém; quando recusou aceitar que negaria o Senhor; e, por fim, quando negou conhecê-lO três vezes antes de o galo cantar.

A fé é sim, sim; não, não. Ou confia ou não confia. Pedro confiava com desconfiança… Felizmente, aquele Pedro morreu e ressurgiu com a ressurreição do Senhor, tornando-se o grande apóstolo. Mas não precisava carregar pelo resto da vida a lembrança do cântico daquele galo.

Diz a história que sempre que Pedro ouvia o galo cantar, corria e procurava um canto para chorar.


  • Bispo Edir Macedo 


reportar erro