Rede aleluia
Sendo mais esperto que seu hábito
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 22 de Maio de 2013 - 00:14


Sendo mais esperto que seu hábito

Sendo mais esperto que seu hábito

Como você já sabe, a maior parte das coisas que você faz todos os dias consiste de hábitos. Desde o lado da cama que você dorme, à hora que você acorda, ao que você faz assim que levanta, à comida que come, à rota para o trabalho, à rotina de trabalho e outras dezenas de tarefas que você faz — são habituais.

Hábito é algo que fazemos sem pensar muito. A atividade já está incorporada em nossa memória e acionada por alguma deixa de uma situação ou outra atividade. O gosto ruim na boca pela manhã aciona o seu hábito de escovar os dentes. O cheiro e o gosto do arroz no prato lhe aciona o hábito de acrescentar o feijão também. O marido lhe chateando aciona o seu hábito de dar um coice nele e se enfiar no Facebook pelas próximas duas horas. (Você não imagina o poder do hábito.)

Aí é que está o problema. Hábitos ruins geram resultados ruins. Sabemos disso mas não conseguimos parar de fazê-los. Por quê? Porque não estamos sendo mais espertos que eles.

É possível você quebrar um hábito, mas somente se você tirar o seu cérebro do piloto automático e usá-lo.

Quer quebrar um? Topa fazer um experimento junto comigo?

Então aqui vai. O primeiro passo é identificar o mau hábito que você quer quebrar.

Escreva-o no papel. Mas antes de escrever, preste atenção. Tem que ser algo:

  1. que realmente lhe chateia
  2. que você esteja farto de cair nele, e
  3. que lhe trará bons resultados, uma boa recompensa, quando quebrado e substituído por outro melhor

Esses três pontos são muito importantes. O hábito que você quer quebrar tem que incluir os três. Então agora, tire alguns minutos e escreva o que é.

Faça isso e depois prossiga para o próximo post.


reportar erro