Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 15 de agosto de 2014 - 13:29


O desejo e a culpa

A culpa é um sentimento muito mais forte que o desejo.

Muito depois que o desejo passa, a culpa permanece. O desejo está sujeito ao tempo e à circunstância. A culpa não.
O desejo pode ser controlado. A culpa é uma consequência inevitável.
O desejo precisa ser alimentado. A culpa tem vida própria.
Antes de agir e dar vazão a um desejo errado, pense no alto e irreversível preço da culpa. Não vale a pena. Quem já viveu, sabe.
Se você está sendo fortemente tentado por um desejo errado, mude seu foco e pare de alimentá-lo. Em breve ele será apenas uma lembrança distante e você uma pessoa feliz por não ter agido sobre ele.
 
 
Veja também:

Cadastre-se nesse blog e seja avisado de novos posts…


reportar erro