Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 28 de novembro de 2014 - 23:03


#14: Errar no amor é um vício

Errar tem muito a ver com os vícios que temos. Se ninguém quer errar, por que erramos? Uma razão é porque nos viciamos em errar.

O que constitui um vício? Vício é qualquer coisa nociva que fazemos repetidamente porque nos traz algum tipo de prazer ou recompensa.

Por exemplo, comer em excesso ou alimentos que fazem mal à saúde. Este vício gera o prazer pelo paladar. O sabor da comida dá o prazer e por isso a pessoa come apesar de prejudicar sua saúde.

Há vícios no amor, também. Alguns exemplos:

O ciúme é um vício que destrói o relacionamento ao longo prazo, mas a curto prazo dá ao ciumento um certo prazer por conseguir controlar a outra pessoa e mantê-la só para si
Vestir-se de forma indecente para chamar a atenção traz o prazer de se sentir notado pelo sexo oposto. Aqueles olhares dão prazer, mas esse comportamento pode lhe dar uma reputação de uma pessoa que não quer um relacionamento muito sério.
Mentir para o parceiro traz o alívio momentâneo de evitar uma briga ou chateação. Mas claro, quando descoberto, o resultado é muito pior.

Você que comete erros recorrentes provavelmente está viciado em errar. Para parar de errar, você precisa quebrar este vício.

Como qualquer vício, para quebrá-lo você precisa: reconhecer que tem o vício, admitir que ele está lhe destruindo, identificar o gatilho que o dispara, e determinar que terá uma reação diferente e melhor do que aquela que é destrutiva. Por exemplo:

Reconhecer: Eu sou uma pessoa ciumenta.
Admitir: Meu ciúme está afastando meu cônjuge de mim, que é o contrário do que eu quero
Gatilhos: (i) Quando meu cônjuge está longe de mim; (ii) quando uma pessoa atraente está perto dele(a); (iii) quando ele(a) usa o celular
Reação construtiva: (i) Em vez de ligar para saber onde está e com quem, vou me lembrar de que vamos nos ver no final do dia, quando serei agradável para que ele(a) dê falta de mim no dia seguinte; (ii) vou me lembrar de que ele(a) me escolheu entre todas as outras pessoas porque viu algo especial em mim; (iii) vamos concordar em termos uma política de transparência em nossos dispositivos telefônicos e de dados.

Quebre o vício de errar. Inicie o hábito de reagir bem às situações e desafios. Atue com a cabeça, não com seu coração impulsivo.

Veja também:

Cadastre-se nesse blog e seja avisado de novos posts…

 

 Curta nossa página no Facebook. 0% de besteira garantido — ou o seu click de volta.

 

 

 


reportar erro