Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de Maio de 2019 - 10:31


Quem vence sempre: a sua vontade ou a de Deus?

Só uma das duas pode prevalecer em sua vida. Entenda

É fácil dizer para Deus que se quer fazer a vontade dEle. Mas, fica claro que muitos falam isso apenas no calor da emoção, pois, quando estão diante de situações em que precisam abrir mão da sua própria vontade para fazer a de Deus, recuam.

Neste momento, se depararam com o principal desafio da vida cristã: negar-se a si mesmo.

Se alguém quer vir após Mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-Me.” Lucas 9.23

O Bispo Edir Macedo ressalta que o Senhor Jesus deu a Sua própria vida por nós e mesmo sendo o Filho de Deus fazia a vontade do Pai. E esse modelo de vida, o Messias fez questão de deixar registrado na Oração do Pai Nosso quando diz:

“Venha o Teu Reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu.” Mateus 6.10

Em outro momento, no jardim do Getsêmani, Ele fez a mesma oração por três vezes pedindo a Deus que passasse dEle aquele cálice, contudo que não fosse feita a Sua vontade e sim a do Pai (Mateus 26.36-44).

“Na hora do maior sufoco, Jesus submeteu a vontade dEle à vontade de Deus. Mas nós, humanos, pecadores, queremos fazer e impor a nossa vontade custe o que custar e essa é a razão de muitos não darem certo em nada”, explicou o Bispo.

“Então, o que eu tenho que fazer? ”, é a pergunta de muitas pessoas. A resposta é simples: faça a vontade de Deus.

A vontade dEle para você

Muitos questionam qual seria a vontade de Deus para as suas vidas, mas não fazem o que é preciso para saber.

“Ele não mostrou qual a vontade dEle para a sua vida, porque você cismou em fazer a sua própria vontade, ignorando a vontade dEle”, esclareceu o Bispo, usando o exemplo do rei Davi, que mesmo sendo pecador, tanto quanto nós, tinha um coração segundo o coração de Deus.

Em suas orações fica evidente o prazer que possuía em fazer a vontade do Pai:

“Deleito-me em fazer a Tua vontade, ó Deus meu; sim, a Tua lei está dentro do meu coração.” Salmos 40.8

Em outra ocasião, disse:

“Ensina-me a fazer a Tua vontade, pois és o meu Deus.” Salmos 143.10

 “A verdade é que quando nós resistimos à voz do Espírito Santo, nós estamos simplesmente pecando contra Deus”, conclui o Bispo.

Resistindo a pessoa errada

“Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” Tiago 4.7

Apesar de esta ser a sequência correta, o que comumente acontece é justamente o contrário do orientado nas Sagradas Escrituras: se resiste a Deus, aí o mal tem liberdade para agir, ao invés de fugir.

Por mais difícil que seja entender, em um primeiro momento, nunca podemos esquecer que a vontade de Deus é “boa, perfeita e agradável” (Romanos 12.2).

Que danos sofreríamos em nos submeter a ela, ao invés das vontades do nosso próprio coração, que a própria Bíblia diz ser mais enganoso do que tudo e se corrompe facilmente? (Jeremias 17.9)

Não insista com a sua vontade. Enquanto a pessoa não se rende à vontade de Deus, ela não consegue sair do lugar. Não importa quão grande seja a sua fé, ficará rodando em círculos por querer fazer a própria vontade e não a do Altíssimo. E isso não é perder o livre arbítrio, mas fazer o uso inteligente dele.

Jejum de Daniel

O Espírito Santo nos capacita a fazer a vontade de Deus. Por isso, o “Jejum de Daniel” para o avivamento do Espírito Santo é uma oportunidade preciosa para aqueles que ainda não foram batizados e para os que buscam um avivamento espiritual.

O propósito teve início no dia 19 de maio e vai até o dia 9 de junho. O encerramento será no dia de Pentecostes com o derramamento do Espírito Santo, direto do Cenáculo de Jerusalém, com a presença do Bispo Edir Macedo.

Se você deseja esse avivamento espiritual, participe dos encontros que acontecem no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de sua casa.

 

 

 


  • Núbia Onara / Foto: iStock 


reportar erro