Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de Maio de 2019 - 12:26


Investigação revela mentiras da TVI contra a Universal

Apesar das calúnias da emissora portuguesa e de Alfredo Paulo, inquérito foi arquivado

No fim de 2017, a rede de televisão portuguesa TVI iniciou uma campanha difamatória contra a Universal, no país europeu. A falsa acusação era a de que a Igreja promovia adoções ilegais de crianças, na década de 1990.

Colaboração mentirosa

Primeiramente, a colaboração para essa mentira veio de Alfredo Paulo Filho, ex-bispo da Universal. Ele saiu da instituição por condutas impróprias, em 2013. E foi condenado pela Justiça brasileira a pagar uma indenização de R$ 1,7 milhão de reais à Universal por suas calúnias.

Sensacionalismo televisivo

O ataque injusto da TVI se fundamentou, inegavelmente, em manipulação de entrevistas, ocultação de provas e exploração de mães fragilizadas. Em outras palavras, sensacionalismo puro. Inclusive, em abril de 2018, a jornalista da TVI, Alexandra Borges, foi investigada em Portugal por oferecer “uma casa, um carro, um novo celular e trabalho” a um dos personagens da série de reportagens.

Inquérito arquivado pela Justiça portuguesa

Apesar de todo o embate da TVI, a Procuradoria-Geral da República em Portugal não detectou qualquer irregularidade no processo.

Além disso, segundo a Lei de Imprensa de Portugal (artigo 24.º da Lei nº.2/99, de 13 de Janeiro), a Universal também ganhou direito de resposta na mídia portuguesa.

Posteriormente, em maio de 2019, o Ministério Público de Portugal arquivou o inquérito que investigava a falsa acusação da TVI e de Alfredo Paulo.

Domingo Espetacular

Em investigação especial exibida no Domingo Espetacular, no dia 26 de maio, as fakenews (notícias falsas) da TVI foram desmentidas em detalhes. Assista a reportagem na íntegra, no vídeo abaixo:


  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro