Rede aleluia

Notícias | 22 de agosto de 2019 - 13:01


Estou em uma união estável. Devo me casar no Altar?

Entenda a importância de oficializar a união e buscar a bênção de Deus

Não é difícil encontrar um casal que desistiu de realizar o matrimônio na Igreja e se manter, apenas, em uma união estável. De acordo com o artigo 1.723 do Código Civil Brasileiro “é reconhecido como entidade familiar e união estável entre o homem e a mulher, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família”.

Isso quer dizer que a partir do momento que um casal decide “juntar as escovas”, ele já está em uma união estável. Mesmo que não haja nenhum tipo de contrato pré-estabelecido. Uma pesquisa feita pelos cartórios do Brasil, em 2017, apontou que em um período de quatro anos, o número de pessoas em uma união estável aumentou 57% em todo o País. Nos Estados Unidos, também em 2017, mais de 7,5 milhões de pessoas viviam em uma união estável.

No entanto, casais que moram juntos, antes de um compromisso claro, estão mais propensos ao divórcio. O dado é de uma pesquisa realizada pela National Marriage Project, da Universidade da Virgínia.

Os pesquisadores ainda revelaram que, em geral, as mulheres veem a união estável como um passo para o casamento, enquanto o homem apenas como uma forma de testar um relacionamento ou adiar o matrimônio.

O problema

O grande problema de viver em uma união estável é justamente a falta de compromisso público e, sobretudo, a bênção de Deus sobre o casal.

“Muitas vezes, isso começou pela conveniência ou com o argumento de teste. Mas esse teste já dura 3, 5 e, às vezes, 10 anos. Até quando vão precisar esperar para saber se são ou não compatíveis?”, indagou Renato Cardoso, especialista em orientação familiar e matrimonial, em um dos programas “A Escola do Amor Responde”, apresentado ao lado da esposa, Cristiane Cardoso.

Couple – Relationship, Bride, Smiling, Married, Newlywed

Por isso, é fundamental que um casal que deseja ter uma vida feliz – e sem frustrações – se disponha a assumir um compromisso público e, acima de tudo, com Deus, a fim de que a união seja ainda mais feliz. Inclusive, quando um casamento é firmado no Altar, o próprio Deus se dispõe a ajudar o casal a enfrentar eventuais problemas que surgirão na vida a dois.

“Quando o casal se preocupa em levar o casamento ao Altar para receber a bênção e fazer de Deus sua testemunha, então, no dia da aflição, esse casal poderá contar com Ele”, enfatizou Renato.

Estou em uma união estável. E agora?

Se você já se encontra em uma união estável com alguém, então, procure oficializá-la. Converse com seu parceiro (a) e marquem o casamento no cartório e, sequencialmente, no Altar. “Saiba que casar-se no Altar significa muito mais do que festa, vestido de noiva e convidados. É algo espiritual, que faz toda diferença, porque, amanhã, você vai precisar saber como lidar com o casamento de forma espiritual”, aconselhou Cristiane Cardoso.

Casar na Universal

A Universal realiza casamentos por todo o mundo. Disponível apenas para membros da Igreja, a cerimônia no Altar é realizada por pastores celebrantes, independentemente se os noivos optem por decorar ou não a igreja.

Para mais informações sobre casamentos na Universal, entre em contato com a setor dedicado ao assunto, pelo e-mail: setorcasamentos@sp.universal.org.br; telefone (11) 2392-3573 ou no WhatsApp (11) 94136-7382. Além disso, você pode acessar o site oficial e obter todos os detalhes sobre o assunto, clicando aqui.


  • Rafaela Dias / Fotos: Getty Images 


reportar erro