Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de abril de 2019 - 09:56


Você está em dificuldade para escolher sua profissão?

Veja qual direção seguir em qualquer caminho que selecionar

Quem ainda não passou pelo processo de escolha de uma profissão certamente vai viver essa situação um dia. No período que antecede essa decisão que pode durar a vida toda é normal que o jovem faça vários questionamentos a si mesmo: “será que existe um curso ou uma profissão ideal para mim? O que fazer se parece que eu não gosto de nada? Por que é tão difícil escolher? Por que eu me cobro demais e tantas pessoas também cobram de mim?”

Pesquisa
Familiares e amigos podem contribuir bastante para o processo de escolha. Um levantamento recente feito pela rede social de negócios LinkedIn com mais de 2 mil trabalhadores brasileiros apontou que pais e mães ainda são os que mais influenciam os filhos na escolha da carreira. Eles foram mencionados por 18% dos entrevistados. Outras pessoas citadas foram professores universitários ou escolares (16%); o gerente, chefe ou diretor da empresa atual (14%); o primeiro chefe (9,4%); o cônjuge (8%); e os amigos (4,8%).

Amadurecimento
O life coach Diego Quiroz, de 42 anos, formado pela Fowler International Academy, nos Estados Unidos, afirma que, quando o jovem está em dúvida sobre a escolha da profissão, uma boa alternativa é participar de um processo de orientação vocacional para encontrar aquela que ele tenha mais afinidade. “Mas o principal é se conhecer. É parte do amadurecimento. Trata-se de um processo de autoconhecimento em que toda informação é usada de maneira equilibrada.Ele pode vir com o tempo ou com situações que são enfrentadas na vida”, esclarece.

Quebrando barreiras
Quiroz avalia que para muitos jovens existe uma resistência em mudar a escolha, o que acaba impedindo que se tornem maduros. “Todas as oportunidades em que o ser humano tem de quebrar paradigmas são dolorosas. Isso porque muitas das nossas atitudes em relação às mudanças estão vinculadas com o que aprendemos no seio familiar e com a sociedade. Quando falamos em escolhas, dependendo do que se trata, isso pode ser bom ou ruim, pois se tornam barreiras, à primeira vista, intransponíveis”, analisa o life coach.

Poder infinito
Para o Bispo Edson Costa, que realiza a reunião da Nação dos 318, palestra motivacional para o sucesso financeiro, todas as segundas-feiras, no Templo de Salomão, em São Paulo, o primeiro quesito que tem que ser considerado para resolver a dúvida em relação à escolha profissional é a mão de Deus estar sobre a sua vida. Ele explica por que isso é importante: “quem já teve que depender de alguém sabe o quanto isso é ruim. Toda vez que uma mão se estende para te ajudar, essa mesma mão, seja de um amigo seja de quem for, amanhã ou depois, vai apontar o dedo para você e dizer que você só chegou aonde chegou porque te ajudou ou, pior do que isso, vai jogar na sua cara a ajuda que te deu. Uma coisa é você contar com a mão do homem; outra, é contar com a de Deus, que mede o céu a palmos porque o poder dEle é infinito”.

Dificuldades
A jovem Raquel Delatorre, de 25 anos (foto a esq.), conta que, mesmo pertencendo a um lar cristão, teve dificuldades na hora de fazer sua escolha profissional. “A compreensão de que Deus precisava estar na minha vida demorou um pouco a acontecer. Tenho facilidade de me comunicar, gosto de projetos voluntários e de ajudar as pessoas e, por isso, pensava em ser jornalista. Quando fui falar com a minha mãe, ela me perguntou por que eu não fazia medicina, já que eu queria tanto ajudar as pessoas. Era algo que eu nem pensava fazer”, lembra.

Caminho certo
Hoje, próxima de se formar no final deste ano, ela se recorda que o caminho para alcançar esse objetivo não foi fácil. “Não passei no primeiro vestibular e tive que estudar muito para poder ingressar na faculdade. Eu tinha dúvidas se estava fazendo o que era certo tanto no período do vestibular quanto ao entrar na faculdade. Foi um ano e meio de muito sacrifício e até passei por um abalo emocional por causa da pressão, mas tenho certeza de que foi Deus que me manteve no caminho certo para chegar até aqui. Aprendi a ter equilíbrio”, esclarece. Ela reforça dizendo: “ainda estou pensando em qual especialidade médica vou atuar, mas tenho a certeza de que terei essa direção de Deus”.


  • Eduardo Prestes / Foto: Fotolia e Demetrio Koch 


reportar erro