Rede aleluia
Violência doméstica aumenta durante a quarentena
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 8 de abril de 2020 - 00:33


Violência doméstica aumenta durante a quarentena

Saiba como denunciar agressões sofridas dentro de casa

Violência doméstica aumenta durante a quarentena

A violência doméstica já aumentou, consideravelmente, durante a quarentena que a maior parte do Brasil enfrenta. As maiores vítimas ainda são as mulheres.

Conforme dados apresentados pela ministra da Mulher Família e Direitos Humanos, Damares Alves, houve um aumento de 8,47% nas denúncias registradas entre os dias 17 e 25 de março (em comparação ao período entre 01 e 16 de março). Veja no gráfico abaixo:

violência doméstica

Os dados são das denúncias realizadas ao Disque 100 e ao 180.

“Nos preocupa muito a expectativa do aumento da violência contra a mulher, o que já aconteceu em outros países, especialmente nos da Europa”, afirmou a ministra.

Infelizmente, o Brasil ainda mantém uma cultura de subnotificação. Acredita-se que menos de 20% da violência doméstica seja denunciada. Ou seja: é possível que o número de agressões esteja próximo de 30.000 casos.

Combate à violência

Para tentar conter essa onda de violência que segue crescendo, o governo lançou uma atualização do aplicativo Proteja Brasil. Antes, o app apenas apontava a delegacia mais próxima para que a vítima buscasse ajuda. Agora, é possível já realizar a denúncia pelo celular.

O app está disponível para celulares que trabalhem com Android e iOS. As denúncias realizadas pelo smartphone têm o mesmo peso do que as realizadas pelo telefone ou presencialmente. Ademais, é possível anexar fotos e vídeos.

“A mulher está dentro de casa, possivelmente com o agressor, não tem como sair para denunciar e não tem como usar o telefone pra fazer a denúncia”, afirmou Damares. “Acreditamos que, dessa forma, a pessoa – mesmo dentro de casa – poderá ir para um cantinho, um banheiro, mesmo com o agressor dentro de casa, e fazer a sua denúncia”.

O app serve para todas as denúncias de violência contra qualquer pessoa, seja agressão física, verbal ou sexual. Damares ainda ressaltou a importância de familiares e vizinhos denunciarem casos suspeitos, mesmo que a vítima esteja impossibilitada de denunciar.

Busque ajuda!

Toda mulher que é vítima de violência doméstica deve buscar ajuda imediatamente. A Universal está de portas abertas para prestar auxílio a quem necessita. Por meio do Projeto Raabe, a igreja oferece apoio tanto judiciário quanto espiritual.

Se você precisa de ajuda, entre em contato, imediatamente, pelo número de WhatsApp (11) 95349-0505. Ou clique em projettoraabe.org.

Leia também: Período de isolamento impacta o número de denúncias de violência contra a mulher.


Violência doméstica aumenta durante a quarentena
  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro