Rede aleluia
UNP consegue dentista para atender detentos em presídio paulista 
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de Junho de 2021 - 16:46


UNP consegue dentista para atender detentos em presídio paulista 

Programa social acolheu pedido do diretor-geral da penitenciária; falta de assistência agravou problemas dentários de presos. 

UNP consegue dentista para atender detentos em presídio paulista 

Nesta quarta-feira (9), o programa social Universal nos Presídios (UNP) levou uma dentista para atender, voluntariamente, os detentos da Penitenciária I de Potim, município localizado a 170 km da capital paulista. O estabelecimento estava sem um profissional para dar assistência odontológica aos encarcerados, em razão da licença da titular.

A UNP atendeu ao pedido de ajuda do diretor-geral do presídio, Gustavo Testa Fernandes. A falta de um dentista no presídio levou ao agravamento da saúde bucal de alguns detentos.

Como o número de presos que precisam de tratamento é grande, foi estabelecido um critério de prioridade, iniciando-se pelos casos mais urgentes e os pacientes com dor.

“A falta de tratamento, a longo prazo, pode causar infecções, perda dentária e faz com que a pessoa não se alimente corretamente, porque não consegue mastigar os alimentos. Isto traz vários problemas de saúde, e um deles é a anemia”, explicou a dentista Daniella Aparecida Chicalé Oliveira, que se voluntariou para atender os presos, a pedido da UNP.

Carlos Eduardo Martins Rodrigues, responsável pela UNP em São José dos Campos (SP), avalia que a ação foi possível graças à boa parceria com esta e outras unidades prisionais da região.

“Assim como somos respeitados, também reconhecemos e respeitamos a autoridade de cada diretor. É um trabalho que vem sendo semeado há um bom tempo. Sempre que alguma unidade solicita um apoio, os voluntários se unem para contribuir. Não medimos esforços para ajudar”, explica Carlos.

A UNP é uma das iniciativas sociais mantidas pela Igreja Universal do Reino de Deus.

Em ofício enviado à UNP, o diretor-geral da penitenciária agradeceu pela ajuda proporcionada pelo programa social.

“Sem vocês, nossos trabalhos jamais seriam concretizados. A vocês, voluntários e voluntárias da Igreja Universal, por perceberem o que ocorre à nossa volta e importarem-se de fato. Por buscarem promover uma transformação efetiva através de atitudes e não apenas de discursos, por proporcionarem sorrisos às pessoas presas, por estenderem a mão, em sinal de solidariedade, a quem necessita. A vocês, deixamos a nossa homenagem, a nossa eterna gratidão e nosso eterno muito obrigado.”

Todas as ações da UNP obedecem, rigorosamente, os protocolos sanitários para evitar a propagação do coronavírus.


UNP consegue dentista para atender detentos em presídio paulista 
  • Unicom / Foto: Cedida 


reportar erro