Rede aleluia
Universal repudia supostos ataques de xenofobia contra angolanos no Brasil
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de Setembro de 2020 - 23:47


Universal repudia supostos ataques de xenofobia contra angolanos no Brasil

Em todo o mundo, Igreja auxilia estrangeiros em dificuldades

Universal repudia supostos ataques de xenofobia contra angolanos no Brasil

A Igreja Universal do Reino de Deus desconhece e repudia supostos ataques de xenofobia (sentimento de ódio sobre  estrangeiros) contra angolanos no Brasil.

Há pastores nascidos em Angola exercendo atividade missionária na Universal em nosso país, que podem atestar que foram bem recebidos e que são respeitados por todos.

Além disso, vale destacar que a Igreja oferece ajuda humanitária a refugiados e imigrantes, no Brasil e em outros países do mundo, há muito tempo.

Em território brasileiro, por exemplo, a Universal desenvolve ações sociais que já socorreram venezuelanos, haitianos, sírios, congoleses, somalis, nigerianos, entre outros povos que buscam, aqui, uma vida melhor.

Durante a crise da pandemia da COVID-19, em países onde existem os campos de refugiados, como no Chipre, na Turquia e Malásia, a Universal incrementou o auxílio aos estrangeiros que estão abandonados em alojamentos sem água, luz e sem comida.

Assim, a especulação de que a Universal estaria, de alguma maneira, estimulando a xenofobia contra angolanos no Brasil, é uma mentira e uma grave ofensa a todo o trabalho humanitário desenvolvido em favor dos estrangeiros que passam por dificuldades, em nosso país e em outras nações.

Há décadas, os bispos, pastores, fiéis e simpatizantes da Igreja Universal do Reino de Deus sofrem com a intolerância religiosa de segmentos da sociedade e com a discriminação de alguns governantes e da mídia contra os cristãos.

Exatamente por esta razão, por ser a Universal a maior vítima de preconceito, este jamais virá da Universal.

UNIcom — Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal


Universal repudia supostos ataques de xenofobia contra angolanos no Brasil
  • UNIcom / Fotos: Reuters 


reportar erro