Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de junho de 2019 - 21:12


Templos da Universal são vandalizados em Salvador

Já são cinco atentados nos últimos meses, no Brasil e no Chile. Perseguição a cristãos cresce no mundo

Na última terça-feira (18), dois templos da Igreja Universal do Reino de Deus localizados em Salvador (BA), na Rua Afrânio Peixoto, foram vandalizados.

Um grupo de “ativistas” pichou os templos durante uma manifestação, com frases como “Fogo nos fascistas”, “Legalizar para não encarcerar” — em referência à liberação do consumo de drogas —, e “Exú não é diabo respeite meu sagrado”.

Outros templos vandalizados

O problema é que não foi um caso isolado. Com estes, já são cinco os templos da Universal atacados nos últimos meses; anteriormente, os vandalismos aconteceram em São Paulo (SP), Teresina (PI) e Santiago (Chile).

A perseguição aos cristãos é uma triste realidade em 144 países, segundo relatório entregue por representante da Igreja Anglicana ao Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido, em maio deste ano.

No Brasil, os bispos, pastores, fiéis e simpatizantes da Universal sabem o que significa este ódio: não há vítima maior do preconceito religioso em nosso país que a Igreja Universal do Reino de Deus.

As autoridades já foram informadas dos fatos ocorridos em Salvador, para que os autores possam responder por seus atos.

UNIcom – Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal


  • UNIcom / Foto: Cedida 


reportar erro