Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 27 de fevereiro de 2019 - 12:20


Seu filho pode estar com depressão (e você tem o poder de ajudá-lo)

A doença também atinge crianças e adolescentes e, ao contrário do que muitos imaginam, não é frescura. Saiba mais

De acordo com o último levantamento feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão atinge mais de 320 milhões de pessoas em todo o mundo. Contudo, engana-se quem acredite que a depressão atinja apenas adultos.

A OMS estima que cerca 8% da população infantil tenha depressão. No Brasil, não há um dado oficial, entretanto, estima-se que o transtorno atinja cerca de 3% da população com idade entre 0 e 17, o que corresponde a mais de 8 milhões de pessoas.

Recentemente, em entrevista aos jornalistas Ana Carolina Cury e Decio Caramigo, no programa Brasil Notícias, que vai ao ar diariamente pela Rede Aleluia (99,5) e Rádio Record AM 1000, a psicopedagoga Rosineide da Rocha explicou que os pais devem ficar atentos aos sinais apresentados pelos filhos.

“Principalmente, observando mudanças de comportamentos da criança, que não têm uma razão aparente. Criança geralmente é ativa, cheia de energia. Se, de repente, houver uma mudança de comportamento, precisa ser observado”, pontuou a especialista.

Ela ainda acredita que observação dos pais seja fundamental para que a criança consiga expressar o que sente. “Criança sabe dizer que a cabeça está doendo, que está com dor de barriga, mas não sabe dizer que está ansiosa, angustiada ou triste. Esses sentimentos são mais difíceis para a criança nomear”, ponderou.

Por não saber o que possui, torna-se mais difícil que a criança busque ajuda, por isso, é fundamental que os pais procurem o auxílio necessário.

A cura para depressão

Às sextas-feiras, na Universal, acontece a Sessão do Descarrego. Contudo, no Templo de Salomão, ao meio-dia, há uma reunião especial para quem sofre com a depressão.

Porém, crianças também podem receber orações na Escola Bíblica Infantil (EBI). O Templo de Salomão fica localizado na Avenida Celso Garcia, 605, Brás, zona leste de São Paulo. Se preferir, procure uma Universal mais próxima de você. Os endereços você pode encontrar clicando aqui. 

Escola de mães 

Há também um grupo chamado “Escola de Mães”, que oferece apoio e orientação para mães e pais, a fim de que vençam seus desafios pessoais e familiares.

O projeto conta com conselheiras preparadas para prestar apoio emocional,espiritual e orientar no cuidado com os seus filhos.

Quando e onde acontece?

No próximo domingo (3) acontecerá um encontro às 16h no décimo andar do Templo de Salomão, ou em um dos endereços pelo Brasil todo, clique aqui e encontre a Escola de Mães mais próxima de você.

Os encontros são gratuitos. Para mais detalhes, acompanhe o grupo pelo Facebook ou pelo site oficial.

Dúvidas entre em contato pelo WhatsApp: 11 94029-0772

(*) Entrevista concedida ao programa “Brasil Notícias”


  • Rafaela Dias (*) / Foto: iStock 


reportar erro