Rede aleluia
Sabedoria na prática: “Eu tratei mal, mas não sou má”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de outubro de 2020 - 14:57


Sabedoria na prática: “Eu tratei mal, mas não sou má”

Núbia Siqueira analisou este tema com base em uma orientação do apóstolo Paulo

Sabedoria na prática: “Eu tratei mal, mas não sou má”

Há pessoas que participam dos encontros na igreja, mas ainda não compreenderam que suas ações devem refletir os ensinamentos bíblicos.

Elas até ouvem que precisam viver conforme as Escrituras ensinam. Mas, na prática, elas continuam a fazer o que desagrada a Deus.

O que há, de verdade, em nosso coração?

Durante o episódio 43, de “Sabedoria na prática“, a colunista Núbia Siqueira analisou este tema com base em uma orientação do apóstolo Paulo: “… O amor não trata com leviandade…”. 1 Coríntios 13:4

Primeiramente, é importante compreendermos que este “amor” descrito no versículo não é uma emoção, mas, sim, é o amor que vem de Deus, de se fazer o que é certo.

“Nós ouvimos muito aquele argumento: ‘Deus sabe o que está no meu coração’. E as pessoas, às vezes, usam esta expressão como se fosse uma coisa boa. É como se elas estivessem dizendo: ‘Eu sou uma pessoa muito boa por dentro’. É como se o fato de elas saberem que Deus conhece o que se passa no coração delas não as assustasse. Mas deveria ser o contrário. Deus saber o que está no nosso coração, deveria fazer a gente tremer. Porque o nosso coração não é naturalmente bom. A Bíblia diz que o coração é corrupto (Jeremias 17:9-10)”, explicou Núbia.

As nossas atitudes revelam o nosso interior

Em segundo lugar, ela acrescentou que a palavra “tratar”, citada neste versículo, dentro deste contexto, refere-se a algo exterior. Em outras palavras, o apóstolo Paulo quis dizer que as nossas atitudes refletem o que há dentro de nós.

“Tratamento, aqui, não está falando só do que está no íntimo, do que não se exterioriza. É o que já saiu. O que sai é fruto do que está do lado de dentro da pessoa. ‘Eu tratei mal, mas eu não sou má’. Não, a Bíblia não concorda com isso. A Bíblia diz que quando há este amor de Deus no íntimo de uma pessoa, ela não trata com leviandade”, explicou.

Portanto, quem tem um compromisso com Deus, dedica-se constantemente em seguir os princípios espirituais. A pessoa pratica o que está no Texto Sagrado.

Faça uma autoavaliação

Por isso, todos os dias, precisamos fazer uma autoavaliação sobre a nossa condição espiritual. Devemos verificar se estamos praticando o que aprendemos dentro da igreja.

Se você consegue perceber que há algo em seu interior que precisa ser mudado, não perca tempo e busque ajuda em Deus. Faça uma oração sincera.

Confira também o episódio 43, de sabedoria na prática, na íntegra.


Sabedoria na prática: “Eu tratei mal, mas não sou má”
  • Da Redação / Foto: Getty Images  


reportar erro