Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de janeiro de 2019 - 10:58


Ronald McDonald crucificado é exposto em Israel

Sutilmente os espíritos malignos zombam do maior evento ocorrido na humanidade

Em Israel, uma escultura do personagem Ronald McDonald crucificado provocou indignação em cristãos que vivem no país (foto abaixo).

O objeto foi colocado no Museu de Arte de Haifa e pertence à exposição “Sacred Goods” (“Bens sagrados”, na tradução livre do inglês).

A ideia com a mostra era fazer uma crítica ao consumismo da sociedade atual. Entretanto, a oposição acrescentou que a obra desrespeita um acontecimento extremamente importante para o cristianismo: o sacrifício do Senhor Jesus na cruz.

Como a prefeita de Haifa, Einat Kalisch-Rotem, e o museu demoraram para prestar algum esclarecimento, um grupo de manifestantes se posicionou em frente ao local, no dia 11 de janeiro último. O pedido era que o objeto fosse removido da exposição.

O caso chegou à ministra de Cultura de Israel, Miri Regev, que, nesse ínterim, solicitou a remoção da obra, por meio de uma carta, ao diretor do museu, Nissim Tal.

Contudo, a Associação pelo Direitos Civis de Israel interveio alegando que a ministra não poderia fazer aquilo sem base legal.

Após o impasse, a oposição e as autoridades de Haifa decidiram colocar uma placa na entrada da exposição dizendo que ali poderia haver um conteúdo ofensivo, segundo informações da agência de notícias AFP.

Leia também: “Obrigado, Satã”, grita ator ao ser premiado

O que significa a crucificação de Cristo?

Certa vez, o próprio Senhor Jesus falou que ninguém tem um amor maior do que aquele que dá a vida pelos amigos, referindo-Se ao sacrifício que Ele mesmo iria fazer pela humanidade (João 15.13).

Em um salmo profético, o rei Davi, quase mil anos antes, previu o momento da crucificação do Senhor Jesus:

“Pois Me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores Me cercou, traspassaram-Me as mãos e os pés. Poderia contar todos os Meus ossos; eles veem e Me contemplam. Repartem entre si as Minhas vestes, e lançam sortes sobre a Minha roupa.” Salmos 22.16-18

Sobre o sacrifício de Cristo, o apóstolo Paulo explica que era necessário. Pois, havia uma separação espiritual entre a humanidade e Deus.

“Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um Homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.” 1 Coríntios 15.21-22

Então, foi necessário que o Senhor Jesus, que é membro da Trindade Celestial, oferecesse a Si mesmo em sacrifício por nós para que esse relacionamento entre criatura e Criador fosse restabelecido (Romanos 5.10).

Leia também: O que significa “combati o bom combate”?

O apóstolo Paulo ainda alerta que a vida terrena é limitada e todas as pessoas estão destinadas a morrer apenas uma vez. Depois disso, a alma irá para o Céu ou para o inferno (Hebreus 9.27-28).

Para compreender a importância da crucificação é necessário usar os olhos espirituais. Porque, esse evento serviu para nos livrar do sofrimento eterno no inferno, longe de Deus.

Sabendo disso, os demônios tentam a todo momento menosprezar esse evento, para que as pessoas não o valorizem. Porque o objetivo dos espíritos malignos é levar todas as pessoas para a condenação eterna.

Igualmente, todos os dias, eles têm semeado sutilmente entre as pessoas ideias contrárias à vontade Divina.


  • Daniel Cruz / Fotos: Reprodução 


reportar erro