Rede aleluia
Quanto mais vício, menos raciocínio
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de Agosto de 2022 - 13:56


Quanto mais vício, menos raciocínio

Reflita sobre esta mensagem do Bispo Renato Cardoso

Quanto mais vício, menos raciocínio

Durante a programação Inteligência e Fé, do dia 3 de agosto, o Bispo Renato Cardoso falou sobre o problema do vício. Vale observar que há pessoas que são viciadas, mas não reconhecem esse fato ou pensam apenas no vício ilícito (como em drogas, por exemplo).

O que observar:

  • “Vício não é só isso. Vício é qualquer comportamento repetitivo e autodestrutivo, qualquer comportamento que você faz regularmente que lhe faz mal. É diferente de ‘hábito’, que é algo saudável. O vício destrói. Seja ele uma substância química ilegal ou, por exemplo, a pornografia, que destrói a capacidade de uma vida sexual saudável com o cônjuge. Seja o comer doce (tem pessoas que são viciadas em comidas açucaradas, que destroem a saúde). Você precisa memorizar: quanto mais vício, menos raciocínio”, explicou o Bispo Renato.
  • “Todo vício é prazeroso porque ele mexe com as nossas sensações, com o nosso bem-estar, o nosso prazer. Ele estimula as sensações humanas. Mas ao mesmo tempo que ele as estimula, ele anestesia a razão, ou seja, a capacidade da pessoa de racionar. E é por isso que quando você vê uma pessoa viciada, ela é capaz de fazer qualquer loucura para manter o vício”, acrescentou.

O que você precisa saber:

  • O vício faz com que a pessoa perca o domínio sobre a própria vida. Igualmente, quando uma pessoa está sob o controle do vício, ela não é produtiva, não consegue se desenvolver em seu interior. Ela vive como uma escrava de si mesma e daqueles que estimulam o vício nelas.
  • Só para ilustrar: as grandes empresas de tecnologia criam estratégias e usam algoritmos para manter as pessoas sob controle em suas plataformas para retê-las presas nas telas de rolagens infinitas. Com isso, as pessoas deixem até mesmo as coisas importantes da vida de lado.

O que fazer:

Como observou o Bispo, é necessário que a pessoa controle ativamente as emoções e os vícios. Para que Deus encontre espaço para falar com uma pessoa, Ele pede que ela use o intelecto. E como ela vai raciocinar, se a mente dela está dominada por um vício? Portanto, fica o alerta: retome o controle da sua mente e cuidado com essa sociedade que faz de tudo para manipular os nossos pensamentos.

Além disso, é importante buscar ajuda. Todo domingo, às 15h, acontece a reunião para Cura dos Vícios em todo o Brasil. Encontre aqui o endereço mais próximo de sua casa.


Quanto mais vício, menos raciocínio
  • Da Redação / Foto: iStock 


reportar erro